The Americans: uma guerra nada fria

Nossos filhos serão americanos e você não suporta isso.” — Jenning, Philip

O mundo das séries é dominado pelos americanos, não tem como negar. É claro que há um monte de produções estrangeiras de muita qualidade (Skins, um beijo!), mas os EUA ainda dominam em termos de quantidade. Por conta disso, vemos diversas tramas nos enfiando goela abaixo o tão falado american way of life, em que os americanos são lindos e os heróis da humanidade.

Toda essa introdução é somente para dizer que existe uma série — maravilhosa, por sinal — que vai contra a todo esse sistema. The Americans mostra a realidade sem máscaras, sem heróis desprotegidos e vilões implacáveis. Ali, se formos observar, ninguém tem razão e todos estão certos, ao mesmo tempo. É contraditório, como a vida muitas vezes se mostra.

banner-the-americans

The Americans, exibida pelo canal FX, passa-se durante o período da Guerra Fria e conta a história de Elizabeth (Kerry Russel) e Philip Jenning (Mathew Rhys), que, à primeira vista, são um casal ordinário, que vive no subúrbio com seus dois filhos, a cara da família americana — tirando o fato que são agentes da KGB infiltrados nos EUA, e nem os filhos sabem disso, é claro. O primeiro grande destaque da série é justamente a caracterização de época: as roupas, os móveis da casa, as ruas, tudo cheira aos anos 80. Especialmente o fato de que eles combinam as missões sem o uso do celular (sim, gente, isso é possível!), e muito menos da internet.

A trama fica interessante quando, já no episódio piloto, o casal ganha como vizinho o agente do FBI Stan Beeman (Noah Emmerich). Sabe aquela máxima que diz que “o inimigo mora ao lado? Então… Nem precisa dizer que isso dá muito pano pra manga durante os episódios. Sem dar muitos spoilers para quem não assistiu, tem uma cena ótima, em que Philip está na garagem de sua casa com um cara preso e amordaçado dentro do porta-malas do carro e aparece o Stan para pedir algo emprestado. É genial todo o jogo de cintura dele para que o agente do FBI não chegasse muito perto.

Como bons agentes da KGB infiltrados, Elizabeth e Phillip usam e abusam dos disfarces para conseguir informações ou realizar as missões que chegam da União Soviética, transformando-se em várias pessoas diferentes, conforme interesse. A verdade é que a cara de pau desse casal é sem fim! Nem solteironas carentes escapam dos ataques. Mas, também, quem mandou Martha Hanson (Alison Wright) ser secretária de Frank Gaad (Richard Thomas), supervisor do FBI e chefe de Stan?

the-americans-comint

Vocês, americanos, acham que tudo é preto e branco, mas para nós tudo é cinza.” — Nina para o agente Stan.

E por falar neles, outro ponto positivo da série é a força e o bom uso dos personagens coadjuvantes, uma proposta que vem sendo adotada com sucesso também em outras séries. No caso de The Americans, o destaque vai para Martha e para Claudia (Margo Martindale), agente da KGB e supervisora dos Jennings, mas a grande estrela mesmo é Nina (Annet Mahendru), que é funcionária da embaixada da URSS nos EUA. A atriz é linda, carismática, competente, e sua personagem tem papel decisivo nas tramas principais da série. Com certeza, The Americans não seria a mesma sem ela!

Mas, se tudo isso não te convenceu a dar uma chance para a série, aqui vai o motivo primordial. Como abri o texto dizendo, The Americans aproxima-se da realidade justamente por não defender lados. Em uma guerra, no fundo, ninguém tem razão e os dois lados usam de artifícios não ortodoxos para conseguir seus objetivos. Mesmo se passando na Guerra Fria — que, teoricamente, não foi para as vias de fato — vemos os dois lados, soviétivos e americanos, matando, torturando, chantageando, ameaçando…

O próprio casal principal vive uma dualidade, pois abriram mão da vida que tinham e foram muito jovens mandados para os EUA em missão. Mas, conforme o tempo passa, eles conhecem melhor o lugar e as pessoas, e têm momentos de questionar se tudo aquilo vale a pena, enquanto, em outros, eles vão com sangue nos olhos destruir o país que se tornou a casa deles. E a pergunta que fica — e não há uma resposta correta — é: afinal, quem é o vilão da história?

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER