The Mentalist 5×12 — Little Red Corvette

Relaxe, Volker. Acabou.” — Teresa Lisbon.

Se tem uma coisa que eu gosto bastante — e acredito que muitos fãs de séries policiais também curtem — é quando um episódio começa mostrando um fato do passado e somente depois introduz a história no presente. Este recurso está presente em Little Red Corvette, mais um episódio espetacular desta quinta temporada de The Mentalist.

Desta vez, Tommy Volker está novamente envolvido em assassinato. E se Teresa Lisbon já estava arrancando os cabelos para colocar o bilionário atrás das grades, agora ela está mais determinada do que nunca. Ainda mais que outro caso se relaciona ao homicídio: o desaparecimento de Marvin Pettigrew, um garoto de nove anos que testemunhou o crime.

A forma como os crimes se relacionam é explicada majestosamente pelo roteiro. História brilhante a deste episódio, fica até difícil achar algum defeito para relatar. O único furo mesmo que encontrei, e ainda assim totalmente perdoável, foi quando Cho e Rigsby chegam exatamente SEGUNDOS após Volker ter saído da casa onde era mantido o garoto desaparecido.

Ver o bilionário sendo capaz de matar uma criança foi realmente assustador, e vê-lo sendo preso finalmente por uma Lisbon triunfante foi sensacional — assim como Jane e seus truques, como sempre. Talvez o fato de ter uma criança envolvida no caso tenha lhe sensibilizado um pouco, pude sentir isso no personagem em algumas cenas.

the mentalist 5x12

Apesar de eu achar que a trama de Volker fosse se desenvolver por mais alguns episódios — e, se fosse, poderia render ainda ótimas histórias -, acredito ter sido uma decisão sensata encerrar o caso logo.

Primeiramente, porque perderia os dois principais focos da série: o serial killer e principal vilão, Red John, teria outro vilão dividindo espaço na série; e o fato de não ter exatamente um foco além de RJ, trazendo um caso diferente a cada semana. Se Volker se desenvolvesse ainda mais, talvez The Mentalist começasse a ficar difícil de acompanhar. Nos perderíamos, não?

Por fim, gostaria de mencionar uma participação que achei demais: o ator Steven Bauer (o Manny Ray do clássico longa Scarface), que fez o papel de Boyle, um dos capangas de Jane e justamente quem não teve coragem de matar a criança, escondendo-a. Um bandido com um bom coração. Gostei, mas não curti sua morte. Porém, seria clichê demais ele sobreviver.

PS.: que bitch essa Brenda, não? Nunca serviu para nada a série inteira, e agora ainda tornou-se justamente a espiã do mal.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!