The Mentalist 7×08 — The Whites of His Eyes

Como poderemos trabalhar juntos? — LISBON, Teresa

The Whites of His Eyes não foi um episódio ruim, pelo contrário, foi até bom diante da atual situação da série. Como episódio em si, só o achei meio avoado demais. Mas o ponto interessante que gostaria de destacar na review de hoje é como esse episódio poderia ser essa temporada inteira até aqui.

Explico: o episódio apresentou um caso bem construído mas nem tão bem desenvolvido, basicamente com três crimes. O primeiro deles é a morte de Jamie Owen, que provocou o segundo — a morte de Edward Hu, testemunha do assassinato original — e o terceiro, que é proteger Lily Stoppard, a outra testemunha, de um atirador de elite contratado pela família de Kelvin Bittaker, um sociopata que bateu em Jamie até ele morrer. Dois desses estágios foram menosprezados, os roteiristas só “passaram por cima”, e focaram no terceiro. Entretanto, seria interessante desenvolver toda essa história ao longo da temporada. Do ponto de vista policial, seria algo diferente dentro da série, convincente e interessante.

Não só seria bom para o caso e a parte policial de The Mentalist como também para Jisbon. Já tínhamos notado que Jane começava a se preocupar cada vez mais com Lisbon e sua vida no FBI, é verdade, mas nesse episódio os roteiristas deram uma aprofundada nesse sentimento, só que de uma forma muito rápida — parece que a ficha caiu de uma hora para outra, num piscar de olhos. Poderia ser algo mais suave, essa transição, e se o caso fosse desenvolvido ao longo da temporada seria possível trabalhar esse lado do casal com mais camadas e, consequentemente, mais profundidade.

the-mentalist-7-08

O núcleo da família Bittaker renderia momentos interessantes. Ver a mãe como vilã de um arco tinha tudo para dar certo. Poderíamos conhecer mais o lado de Jamie e sua família, e o efeito cascata da família de Kelvin tentando encobrir uma testemunha após a outra renderia cliffhangers bons como os de tempos atrás.

Resumindo, o que quero dizer é que a história condensada na narrativa de um episódio ficou um pouco superficial e corrida. Por outro lado, se desenvolvida ao longo da temporada seria possível solucionar dois problemas de uma vez: a história ficaria mais convincente e a série, muito provavelmente, estaria tendo um desempenho mais regular e interessante do que apostar em casos procedurais isolados e em romance. É diferente de The Silver Briefcase, em que disse que a história poderia render mais também, porém ficou boa em um único episódio. Aqui, a história é boa, com excelente potencial, mas para um arco, não para apenas um episódio. Da forma como foi contada, é ok. Da forma como poderia ser contada, talvez rendesse uma das melhores temporadas da série.

Devemos somar a isso tudo o excelente desempenho de Robin Tunney. Lisbon se deu conta que Jane pode interferir no seu trabalho, que é algo que ela gosta demais. Não só isso: o trabalho é o grande companheiro de Lisbon há muitos anos, portanto, é algo importante para ela. Tunney deixou transparecer esse conflito interno de Lisbon, e o início do episódio nos lembra que Lisbon também possui personalidade forte em alguns momentos e que, quando é preciso, sabe bater o pé firme. Não será fácil a personagem abandonar tudo de uma vez, pois ela gosta do que faz, e Jane terá que aprender a respeitar isso.

Por outro lado, é natural de Jane proteger suas amadas — e ele já deixou isso bem claro ao longo da série. A atuação de Simon Baker foi um pouquinho mais fraca do que a de Robin, mas o que importa é que esse também é um conflito bastante interessante, e poderia ter ganhado destaque mais cedo na série. A impressão que tenho é que com The Whites of His Eyes sendo a temporada inteira, teríamos algo mais ágil, consistente e nem tão boring como muitos episódios que foram apresentados até agora.

Infelizmente, agora não há muito o que fazer. Faltam apenas cinco episódios para The Mentalist deixar a TV, e a minha torcida continua sendo a mesma: que a série apresente mais casos desafiadores ao seu estilo, e consequentemente interessantes, até o final. Interessantes como The Silver Briefcase e este The Whites Of His Eyes, por mais que sua história pudesse ter sido mais bem explorada e, quem sabe, ter mudado o rumo do legado da série.

Fiquem com o promo de Copper Bullet, que traz de volta Dylan Baker e seu personagem, envolvido com o passado de Abbott. Até semana que vem!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER