The OC 1×01 — Pilot

Bem-vindo (novamente) a Orange County!

Welcome to The OC, bicth! — WARD, Luke

E é com imenso prazer que farei as reviews dessa série que marcou a época de muita gente e que mudou completamente o mundo dos seriados teen. Quem aqui não sente saudade de cantarolar junto com a abertura: California here we come, right back where we started from, Califooooooornia?! Ou de ver a nossa querida (ou talvez odiada) Marissa Cooper ferrando com tudo? Pois bem, para quem já conhece nossos moradores de Newport Beach, será uma delícia reviver toda a trama com vocês. E para quem não conhece, ótima oportunidade de assisti-la e acompanhar as próximas críticas aqui no Box.

E já quebrando barreiras (ou vidros de carros), somos apresentados ao jovem Ryan Atwood, um problemático adolescente morador de Chino. Nossa trama inicia no exato momento em que Ryan e seu irmão Trey são pegos em flagrantes no roubo de um carro. Trey, como já era maior de idade, foi autuado e levado direto para a prisão. Agora Ryan, com apenas 16 anos, teve que ir para o reformatório e a sua única salvação seria o consentimento de um guardião legal ou de um advogado para retirá-lo de lá.

E no quesito de guardião legal, Ryan Atwood não tinha nenhum. Começando por sua mãe, uma alcoólatra que vivia para sustentar o seu vício em bebidas e apanhar do marido também alcoólatra. E entre o homem dominante e seu próprio filho, ela fica com o batedor de mulheres.

The OC - Ryan Atwood

É nessa hora que Sandy Cohen entra em cena. Pai do século, grande marido e o melhor advogado do mundo, Sandy ajuda Ryan a sair do reformatório e o leva para viver com sua rica família no condado de Orange County. A primeira impressão que o piloto nos passa é que o enredo vai trabalhar justamente com o fato de Ryan ser um “peixe fora d’água” naquele mundo de ricos e beldades. Não foi à toa que o SBT nomeou o seriado como “um estranho no paraíso”.

A casa dos Cohen é extremamente luxuosa (ao decorrer dá série passamos a nos sentir na nossa própria casa e trocamos a palavra luxo por aconchegante) e fica bem claro que os ricos de Orange County são bem conservadores no quesito de bem-estar, ao ponto de notarmos juntos com o protagonista, que só um milionário poderia se dar o luxo de morar em tal bairro. Mas se Sandy afirmou que conhecia muito bem o passado de Ryan, por ter tido uma vida semelhante, então quem bancava tudo aquilo? A sua esposa rica, Kirsten Cohen. E conhecendo muito bem o temperamento da sua mulher, Sandy pede que Ryan o espere do lado de fora, enquanto ele prepara todo o terreno para a sua chegada.

E é aí que Ryan é abordado por Marissa Cooper.

– Quem é você?
– Quem você quiser que eu seja.
– Okay!

Marissa questiona Ryan de onde ele conhecia os Cohen e, mesmo nosso rebelde dizendo a verdade, a garota não acreditou no que ele disse (e quem acreditaria?). Imediatamente ela presume que Ryan poderia ser um parente distante. E sendo inverso de qualquer mocinha tímida que vemos nesse tipo de série, Marissa, mesmo sem conhecê-lo, o convida para uma festa que iria acontecer no dia seguinte. Nada ousada essa garota, não é? Mas se pensarmos bem, Ryan disse que ele poderia ser o que ela quisesse. Vai saber o que passou nos pensamentos da nossa Cooper? E olha que estamos falando do ano de 2003! E quando você pensa que os dois vão jogar os cigarros fora e se agarrarem loucamente, o namorado de Marissa surge em uma picape e carrega a garota fora dali (sim, gente, mesmo com toda essa audácia, ela tem um namorado).

Esse parágrafo é especial porque aqui falamos sobre Seth Cohen! Sandy apresenta Ryan a sua esposa Kirsten que (depois de um barraco com o marido) foi simpática e acolhedora com o nosso protagonista. Assim como também apresentou o seu filho nerd, Seth. O garoto fica empolgado por saber que alguém da mesma idade que ele vai passar um tempo na sua casa, provavelmente pelo fato de não ter muitos amigos, ou melhor, nenhum amigo. Essa presunção foi confirmada logo depois. Na manhã seguinte, Seth leva Ryan para conhecer o seu veleiro, e assume que o nomeou de Summer, pois era o nome da sua grande paixão platônica. Ainda lembro-me da primeira coisa que pensei quando Seth relatou isso: esse será o meu personagem favorito. O que posso fazer? Tenho uma quedinha por histórias com amores não correspondidos.

Mais tarde, na noite daquele mesmo dia, Ryan e Seth vão ao desfile de moda organizado pelas garotas da elite de Orange County. Inicialmente Seth não quer ir para o evento, mas Sandy insiste que ele e Ryan compareçam, principalmente porque Marissa havia convidado o seu mais novo hóspede para ir a uma festa após o desfile. Ryan concorda e ressalta que Summer provavelmente estaria lá. Nem preciso dizer que a partir desse ponto já começamos a sentir o gostinho da encrenca.

O desfile consiste em nada mais, nada menos, do que mostrar adolescentes ricas vestidas com roupas que custam milhares de dólares. As socialites afirmam que o dinheiro investido no desfile vai todo para a caridade, e que, em minha opinião, é algo ridículo (via Gossip Girl). Não poderiam simplesmente ter dado dinheiro direto para a caridade ao invés de gastar milhares de dólares em vestidos que só vão ser usados uma ou duas vezes? Mas em um mundo onde tudo é perfeito, todo mundo tem a abundância de dinheiro para queimar.

Ou não. Enquanto todas as meninas estão desfilando com seus vestidos de quarenta mil dólares, o pai de Marissa, Jimmy Cooper, bate a cabeça várias vezes no box do banheiro. Porque é normal fazer isso, né? Quem nunca foi em uma festa luxuosa e depois correu no banheiro para chorar loucamente porque a fatura do seu cartão de crédito não foi paga? Parece que temos um problema, gente. Porque do outro lado, no banheiro feminino, sua filha e sua melhor amiga estão descendo goela abaixo uma garrafa inteira de vodka. Voltando para Jimmy, já podemos presumir que ele está tendo graves problemas financeiros … o que é ruim, porque sua esposa, Julie, parece ser o tipo de mulher que larga o marido rapidinho caso ele fique pobre. É impossível não amar esse novelão! E olha que ainda estamos falando do episódio piloto!

Após o desfile, Seth e Ryan pegam carona com um bando de garotas desconhecidas e partem para a tal festa. Todo mundo fica intrigado com a presença de Ryan, especialmente Summer. Depois de ingerir várias bebidas, ela começa dar em cima dele e a acompanhá-lo onde for. Enquanto isso, Seth assiste de longe toda cena entre a garota que ama e o seu pseudo novo amigo. Sentindo-se traído, ele vai embora, mas não antes de revelar na frente de todos que Ryan roubou um carro e pertencia à cidade de Chino. Foi um jogo de carma totalmente injusto, eu sei.

Não muito tempo depois, Ryan encontra Luke (namorado da Marissa) empurrando Seth e chamando-o de geek (hoje isso não seria um grande insulto, mas ficamos com a parte de que fizeram o pobre coitado de saco de pancadas). Ryan salta para a defesa de Seth, e os dois garotos acabam apanhando feio do boyzinho californiano. Que menino encantador! É nessa cena que recebemos o convite para acompanharmos a vida de Orange County, e quem se recusaria a tal proposta?

Os dois voltam tranquilamente para casa e tudo é perdoado entre Seth e Ryan. Poderia ter um drama melhor, mas fez sentido de não focarem nisso. A melhor cena ainda estaria por vir. The OC iniciou sua trama fugindo de todos os clichês existentes, prova disso é o caráter da nossa mocinha (que não tem nada de mocinha). Ryan encontra Marissa jogada na calçada, aparentemente bêbada e desmaiada. E não querendo deixá-la deitada ali, Ryan a pega nos braços e a leva para a casa dos Cohen, pelo menos para que Marissa tenha uma cama decente para dormir.

Isso foi o que mais me cativou em OC. Não existe um padrão definindo de quem é bom. Existe o fato de tal pessoa ser assim e pronto. Nem toda protagonista tem que ser igual uma Lana Lang e nesse aspecto Josh Schwartz (produtor e criador da série) ganhou o meu coração. Prova disso teríamos uma pessoa chamada Blair Waldorf em um futuro não tão distante.

Na manhã seguinte, Kirsten descobre o que aconteceu na noite anterior. É claro que ela culpa Ryan, e diz ao seu marido que eles não podem ficar com o rapaz por mais tempo — claramente é melhor que ele volte para sua mãe bêbada e o seu namorado perdedor.

Após o “creu” recebido da esposa, Sandy leva Ryan de volta para casa, para a grande decepção de Seth. Parece até o final de um filme, tudo acontece nesse episódio piloto. Chegando em Chino, eles encontram uma casa completamente vazia. Ryan foi abandonado mais uma vez. “Venha. Vamos embora”, é o que diz Sandy ao presenciar aquela situação por uma segunda vez.

E nos voltamos com eles dois.

Ps: como não existe promo para que você possa ter ideia de como será o próximo episódio, vou reservar o final de cada review e deixar o vídeo da melhor canção tocada em cada capítulo.

E vamos estrear com Honey and the Moon do cantor Joseph Arthur (que confesso saber cantar inteirinha por causa da série).

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER