The Originals 2×03 — Every Mother’s Son

You were never weak, Niklaus. You are and you have always been the most fierce of us all. In a thousand years, I’ve never seen successfully stand against you, not even our wicked father, not one of the countless devoted to your destruction. You will protect our home, even in the face of an adversary such as our mother, because that, brother, that is what you do.” MIKAELSON, Elijah.

Esse episódio de The Originals foi diferente. Ele deu uma freada no ritmo de ação alucinante que a série se propôs nos últimos dois episódios, e focou numa das coisas que eu mais adoro nessa série: as relações de poder e amor entre esses personagens.

Não foi um episódio parado, muito pelo contrário. Aconteceu muita coisa. A primeira delas foi a confirmação de qual dos progenitores Klaus e Elijah iriam enfrentar. Com Davina fora de radar, e consequentemente seu puppet Mikael (e também Kolsaac), Esther vai reinar nas bruxarias até Nik (eu sempre escrevo isso ouvindo a voz da Holt falando, por sinal, saudades Bekkah) e seu condolente irmão acharem uma forma de destruí-la de uma vez por todas. (E peço, encarecidamente que isso demore pelo menos mais uns seis episódios.)

Falando na Mamãe Original, temos toda uma explanação do grande plano da bruxa. Esther é mãe, e mesmo sendo maluca, ela conhece seus filhos e consegue prever seus passos. Esse foi o motivo pelo qual ela aparentava estar tão paciente enquanto Joseph Morgan dava um show de atuação, fazendo Klaus bradar muitas das coisas entaladas em sua garganta a séculos. Esse também é o motivo pra ela estar sempre um passo a frente. E vamos combinar que isso é o que faz a série pegar fogo.

TO2.03

Os últimos minutos de episódio pra mim foram a cerejinha do bolo. Não da forma como eu esperava, mas aquela cena do jantar me deliciou mais do que se eu tivesse comendo. Sério. Os quatro atores estavam confortabilíssimos, e tenho que dizer que bati palmas lentas a cada frase forte e de efeito dita por cada um.

Uma coisa que eu particularmente não curti nesses últimos minutos, foi Esther pular do corpo da Cassie pro de Lenore. A diferença das atuações foi gritante, e eu só conseguia pensar em: “Esther volta pro corpo da Cassie. A-GO-RA.” Ok que pega meio mal uma bruxa secular estar no corpo de uma adolescente de dezesseis. Mas quando uma atriz de dezesseis convence mais num personagem desse peso, é bom repensar. Gostei de Lenore. Simpatizei com seu jeito meio ranzinza de cara. Mas, como Esther simplesmente não desce.

Esther a parte, uma coisa que eu amei naquela cena do jantar foi o ataque de recalque agudo que o Finn deu. Pudemos ver todo o seu ódio por ter sido trancado num caixão por novecentos anos com uma adaga no peito. Mas se eu fosse irmão de uma criatura dessa, eu certamente o deixaria preso por muito mais tempo.

Hayley deu mais uns passos na sua busca por se tornar lead female da série, participando do plot principal de forma que nós nem imaginaríamos como iria terminar. Mas ainda senti um pouco forçada a sua atitude emo e gótica de descontar suas frustrações no Elijah. Do jeito dele, ele só tenta protegê-la.

Falando em Elijah, preciso dizer que meio que shippei ele com Gia. Até eu me tocar que ela só está tão próxima a ele a mando de Marcel; que por sua vez quer Elijah como aliado pra reconstruir o reinado dos vampiros no Quarter. Acho que desse plot muita coisa vai render, e não sei até que ponto Marcel vai estar em conjunto com os Originais.

Em suma, esse foi um episódio bom. Redondinho. Desenvolveu os plots de forma mais calma sem deixar o ritmo sonolento e arrastado. Coisas que só um roteiro apurado e uma direção bem feita consegue fazer.

Fiquem agora com a promo do próximo episódio:

P.S.1: Senti, desesperadamente, a falta de Rebekah nessa reunião de família. De Kol também, mas é porque Rebekah é a única e ela tem uma ligação forte com Klaus e outros mil porém. Quero ela de volta logo.

P.S.2: Amo quando a série tem flashbacks. É legal ver como esses pequenos fatos mostrados nessas cenas tiveram impacto nos personagens. Mas tenho que confessar que eu meio que me perco em relação ao momento exato de morte do Enrik. Parece ter sido durante a infância, pelo que eu entendi, mas TVD mostrou os Originais transformados em vampiro já quase adultos. Ou eu estou confundindo a porra toda?

P.S.3: Falando em Flashbacks, se preparem porque no episódio 5 teremos Nina Dobrev! Finalmente conheceremos Tatia.

P.S.4: Mais um episódio sem Cami, e agora sem Davina. E sinceramente, não fizeram falta. Se o roteiro não se cuidar, daqui a pouco Cami será a Tyler dessa série.

P.S.5: A direção de fotografia desse episódio está de parabéns, porque a estética da série está cada vez melhor.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER