The Voice Brasil 3×06 — Brincadeira de criança (como é bom, como é bom!)

Técnicos brincam de pega-pega mesmo com direito a menos um pega nesta temporada

Antes de inserir juízo de valor no subtítulo acima, saiba que houve candidatos realmente merecendo ser salvos na noite em que Lulu Santos começou a vacilar — típico dele desta etapa pra frente.

tecnicos-the-voice-3-batalha

Mas, de fato, nem todos os pegas eram realmente necessários, em certos momentos sinto que os técnicos sentem dó de ver gente boa indo embora, esquecendo-se de pensar estrategicamente. Ao todo serão 8 pegueis, 4 deles já foram utilizados nessa noite — a primeira de três dessa fase.

A boa, talvez melhor notícia da temporada, é que houve treino com técnicos e mentores, ainda que tenha dado a impressão de que os pupilos só se encontraram com os técnicos uma vez na semana e nos outros ficaram com mentores e banda. Sou dessas que ficam feliz com pouca coisa, assim, já acho uma melhoria. Na próxima, a gente torce pra ter ainda mais treinos.

Vamos às batalhas, quem não assistiu (ou quer ver de novo), pode acessar todas elas aqui.

Vitor e Vanuti x Danilo Reis e Rafael (Time Daniel)

Daniel, que provavelmente se arrependeu por ter mais de uma dupla sertaneja, colocou duas delas para brigar. Obviamente que era bem difícil fazer um bom trabalho para que quatro vozes ornassem juntas, mas deu certo. A versão de “Domingo de manhã” emocionou geral, até as insensíveis almas da internet que vivem no twitter — reparei bem na timeline achando linda a apresentação, mas a internet, mas quando gosta, não perdoa.

Um amor: a internet. E realmente, os quarto ornaram que nem os A-M-I-G-O-S. No fim das contas, quem venceu foi a dupla Vitor e Vanuti, segundo Daniel, porque juntos eles pareciam uma só voz. Concordo com a justificativa dele, no entanto, se fosse para apontar o melhor dos quatro, eu diria sem dúvidas que foi Rafael (é ele mesmo o mais alto, né!?) Bom, mas não precisa chorar, Danilo Reis e Rafael foram pro time de Lulu, um pega que achei desperdiçado, mesmo adorando os meninos.

Maria Alice x Mariana Mira (Time Lulu)

Ficou clara que a intenção era esquentar o palco com a música Bang Bang, de Jessie J, mas faltou alguma coisa passar que elas conseguissem fazê-lo. Maria Alice mostrou experiência, além de acertar ao cantar, estava completamente à vontade, arrasando na presença de palco. Já Mariana errou nos dois, em alguns trechos ela não deu conta de alcançar as notas e parecia muita nervosa ao se mover pelo ringue. Como já estava claro que seria, Maria Alice levou, sem pega, Mariana deixou o programa.

Thiago Costa x Davi Lins x Nise Palhares (Time Claudia)

A primeira batalha tripla do programa, consequência da injustiça da semana anterior. Os três cantaram “Adivinha o quê” e o resultado coletivo não foi nada bom. Os três têm timbres parecidos, a meu ver, o de Nise é um pouco mais gostoso de se ouvir, mas o que atrapalhou a apresentação dos caras foi o excesso de firulas. Davi estava completamente perdido, parecia desconcentrado e nem individualmente se saiu bem. Thiago exagera nas nuances e acaba ficando chato, mas a escolha da música e a disputa entre três podem ter causado isso. Milk ficou com Nise, acho que mais por saber o quão boa é do que pela performance da noite em si. Thiago foi disputado pelos técnicos Lulu e Daniel, preferindo esse último. Já Davi foi pra casa.

Edu Camargo x Rose Oliver (Time Lulu)

A música era bonita, “Eu sei que vou te amar” e já milhões de vezes executadas por diversos cantores, o que pede um diferencial. Quando Edu cantava, ele executava de forma um pouco estra os finais de frases, não deu para saber se era uma firula proposital ou se faltou ar, mas isso me deixou bem incomodada, especialmente mais no início da performance. Ao contrário, Rose já entrou mostrando domínio técnico e foi assim até o final. Estranhamente, Lulu optou por Edu, ainda que a plateia tenha se exaltado nos momentos em que Rose se destacava. Para consertar uma das cagadas de Lulu na noite, Carlinhos fortaleceu seu time com Rose.

Dilauri x Romero Ribeiro (Time Brown)

Antes de dizer qualquer coisa, que todo preconceito seja extinto dessa análise, obrigada. Digo isso porque vi tanta gente mandando eliminar os dois por serem pagodeiros que fiquei triste. Passou. Mas, de fato, ambos se propõem a cantar pagode, um estilo que também não sou das mais fãs, e o fazem bem feito. Cantando “Maluca pirada” em uma disputa muuuuuuuuuuito pau a pau, ficou até difícil apontar diferenças entre eles. Talvez a postura e presença de palco tenham sido grande diferencial de Romero, mas o timbre dele também é mais gostoso. Tchau pro Dilauri.

Dudu Fileti x Isadora Morais (Time Lulu)

How can I go on está na (minha) lista das músicas mais bregas e lindas do século passado, quase choro de ouvir. Achei a escolha surreal, quando o cara começou a cantar, meu primeiro comentário foi “tadinha da Isadora, não vai dar conta de alcançar as notas altas dessa música de maneira alguma”. Quebrei a cara, mas quebrei tanto que virei fã dela! Dudu foi ótimo, fez a base perfeita, fazendo da batalha um dueto lindo, mas Isadora era, sem dúvidas, o destaque entre eles. E acabou merecendo mais destaque ainda, num momento polêmica.

Lulu — responsável pela escolha da canção — alegou que não entende nada de canto lírico e, por isso, não poderia comentar a performance da moça. Pergunto: por que então escolher tal música? Por que explorar o potencial lírico dela se ele mesmo não saberia como agir depois? Ela não deixou por menos, quando Dudu foi escolhido com tal justificativa do técnico, ela fez questão de dizer que além do lírico, canta jazz, MPB e muitos outros estilos. #TomaLulu

E veio a internet…

Hauhauhauhauauahhau AI JENT!

Depois de algum tempo enrolando, Brown salvou Isadora, consertando outra cagada de Lulu e conseguindo uma aquisição ainda melhor para seu time com seu último pega.

Joey Mattos x Letícia Pedroza (Time Brown)

Numa batalha bem morna para acalmar os ânimos depois do bafão da anterior, eles cantaram “Réu confesso/ Você/ Gostava tanto de você”. Tim Maia é uma das piores escolhas em realities, o resultado fica sempre parecendo a galera da firma cantando no viodeokê no happy hour. A escolha de Brown deixou a batalha difícil de se analisar, mas a grande verdade é que ambos não tinham muito diferencial. Joey venceu, Letícia Pedroza deixou o programa.

Ricardo Diniz x Kadu Vianna (Time Daniel)

A escolha de Haven’t met you yet devia ter sido cancelada quando ficou claro que os dois não sabiam cantar em inglês, mas ok. Ambos com anos de carreira, músicas gravadas em inglês, como Daniel iria imaginar, né!? Durante a performance, a voz de Ricardo se destacou mais enquanto a de Kadu estava tão baixa que mal dava pra ouvir. Não só por isso, mas pela execução melhor como um todo, Ricardo venceu e Kadu voltou pra BH.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER