The X-Files 1×15 — Young At Heart

Em episódio centrado em Mulder, The X-Files nos traz um pouco do seu passado.

Você me irritou só de te olhar na cara, mas daí eu vi como sua mente funcionava. Como sempre esteve três passos na frente. Era estranho Mulder. Todos achavam.” — PARDUE, Reggie

Parece que nada que venha da Seção de Crimes Violentos é tranquilo para Mulder. Se bem que um departamento com esse nome, tem que deixar alguns fantasmas rondando. Após alguns episódios centrados na Scully, retornamos para conhecer um pouco mais do passado do agente Fox Mulder.

Até esse ponto da história, conhecemos apenas um “Spooky Mulder” com pessoas também estranhas (para não dizer aproveitadoras) ao seu redor, tanto que, por um momento, somos surpreendidos pela presença de alguém quase normal em seu passado, seu amigo, o agente Reggie Pardue (Dick Antony Williams). Mais uma vez a mente prodigiosa de Mulder precisa retornar ao seu antigo Departamento, mas dessa vez, o caso é quem o chama.

Novamente uma série de assassinatos está desafiando o FBI, porém é a metáfora que o suspeito usa que leva a Seção de Crimes Violentos a convocar Mulder. Em um bilhete deixado no local, o assassino chama pela “raposa” (raposa = Fox), associação que, apesar de óbvia, envolve e faz com que compreendamos a ânsia do agente em capturá-lo. As pistas dos assassinatos levam Mulder a identificá-lo como John Barnett (David Petersen).

The x files

Esse é um episódio que se desenvolve em camadas. E mais uma vez é o olhar descobridor de Scully quem nos conduz. No início temos um Mulder descontraído, reencontrando colegas, brincando para conseguir favores. E é interessante conhecermos esse lado dos agentes, pois o contato com pessoas além do círculo dos Arquivos X é algo que vai se perdendo com o passar das temporadas, quando a máxima do “não confie em ninguém” vai se tornando cada vez mais sólida.

Seguindo com o episódio Scully descobre que Mulder foi o responsável pela prisão de Barnet (seu primeiro caso na Seção de Crimes Violentos) anos antes, porém na operação, sua hesitação em apertar o gatilho deu espaço para que o assassino matasse um refém e um agente do FBI. No momento do julgamento, Barnett, que anos depois foi dado como morto na prisão, jurou “pegar” Mulder, A grande problemática é que agora, Barnett ameaça primeiramente os amigos de Mulder.

É então que mergulhamos em mais uma camada de sua psiquê: culpa. Ele é um homem brilhante profissionalmente, mas perturbado por seu passado. O desaparecimento de sua irmã diante de seus olhos provocou a sensação de impotência, o que prejudica sua vida social. Além disso, Mulder tem uma alta capacidade em estabelecer rapport com outras pessoas, talvez por isso seja tão bom em descrever perfis. Sua culpa inerente unida à sua capacidade em conectar-se às pessoas faz com que ele sempre assuma responsabilidades e mergulhe em sua própria escuridão, como uma autosabotagem.

Então, o que parecia mais um caso simples, torna-se um Arquivo X, pois a morte de Barnett está ligada a um médico com sua licença caçada, o Dr. Joey Ridley (Robin Mossley), que utilizava presidiários para experiências (com uso de células de répteis) buscando a cura para progéria, uma condição genética que acelera o envelhecimento. Barnett teria sido o paciente mais bem sucedido e que por isso teria a aparência rejuvenescida (Alan Boyce). A presença do Garganta Profunda nesse episódio vem para informar Mulder de que Barnett estava a solta, pois negociava com o Governo Americano informações referentes ao sucesso dos experimentos, sem o conhecimento de Ridley, o qual passou a ajudar Mulder e Scully na investigação.

Com a promessa de Barnett se cumprindo, através da morte de um dos amigos de Mulder, Scully é usada como isca, dando-lhe a oportunidade estar de frente com Barnett, porém desta vez, ele não hesita e o assassino leva o segredo das experiências de Ridley para o túmulo.

Mais uma vez incapaz de provar sua teoria, Mulder ironiza a ideia de que o conhecimento sobre a juventude eterna, está perdido em algum lugar qualquer, embora pudesse vir a salvar muitas vidas.

  • Curiosidades dos Bastidores:

– Esse episódio também sofreu intervenção dos produtores da Fox, que achavam uma cena de estrangulamento excessivamente violenta. Na edição final, a cena foi reduzida;

– É o primeiro episódio em que Mulder mata alguém.

Queremos saber a opinião de vocês! Que nota vocês acham que esse episódio merece?

[taq_review]

Segue promo do próximo episódio:

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!