The X-Files 2×21 — The Calusari

The Calusari é mais um episódio na eterna luta entre o bem e o mal.

Está tudo bem por enquanto, mas cuidado, ele te conhece.” — CALUSARI

Certamente, Chris Carter e os roteiristas precisaram manter uma postura muito firme diante dos produtores da Fox para poder contar suas histórias. Principalmente as que envolviam crianças, porque quase sempre estes roteiros tinham um tom sombrio.

O teaser do episódio já é bem difícil de ver. Se hoje ainda é tabu mostrar a morte de um garotinho de 2 anos, podemos imaginar o quanto a cena incomodou na década de 1990. O que, no início, parecia um feliz passeio em família, vai tomando tons sombrios a partir do olhar que Charlie lança para seu irmão.

A tensão vai crescendo, ficando sempre a expectativa de que no último minuto algo acontecerá para que a criança consiga sair do trilho. Então o choque vem com o grito da mãe. O que torna tudo mais macabro é que fica clara a participação do irmão do garoto em toda a cena.

The Calusari é como uma mistura, bem feita, de O Iluminado e O Exorcista. Também é um mergulho nas superstições romenas e nos conceitos da parapsicologia. A escolha do elenco foi excelente, Charlie/Michael (Joel Palmer, que já havia aparecido em Conduit) consegue transmitir fragilidade e a frieza com a ambiguidade que o personagem exige.

Após a primeira cena, acreditamos realmente que o menino é uma encarnação do mal e é estranho ver sua avó protegendo-o, para depois sermos surpreendidos por seu desespero ao presenciar a morte do pai, como se algo fora de seu controle estivesse acontecendo. É quando percebemos que ele não é mal, mas que está acompanhado dele.

Por se tratar de tradições romenas, uma cultura muito diferente da nossa, todo o episódio nos causa estranheza, desde a caracterização da avó e dos Calusari, até a cena do ritual de purificação. As superstições romenas e a ambientação mais sombria, contrasta muito com a nossa, que é mais solar.

É o choque cultural que deixa Mulder e Scully meio sem saber que direção tomar, como lidar com aquele caso. Também é isso que faz com que a Maggie (Helene Clarkson) relute em tomar atitudes. Talvez elas quisesse tanto fugir daquela escuridão, mas nem sempre nos lugares mais iluminados reside a verdade ou a salvação.

A cena do exorcismo, em paralelo à que a mãe do menino e Scully enfrentam o espectro do irmão gêmeo falecido, nos faz lembrar do porquê a segunda temporada da série é tida como uma das mais assustadoras.

Mais uma vez a problemática da batalha entre o bem e o mal é tratada, invertendo estereótipos. The Calusari nos mostra que, muitas vezes aqueles a quem tememos pela primeira impressão, na verdade são aos que devemos nos aliar. E agora que o mal conhece a face de Fox Mulder, certamente nossos protagonistas precisarão de fortes aliados.

Curiosidades dos bastidores

– A cena do onde o pai de Charlie é enforcado sofreu edições parar amenizá-la, à pedido dos produtores da Fox;

– A frase em romeno que Charlie diz para sua avó antes de ela morrer significa: “Você veio tarde demais para nos impedir”.

– Na parede do hospital, durante o exorcismo, escorre um líquido viscoço, que na literatura esotérica é chamdo de amrith.

É o único episódio de The X-Files com censura 18 anos.

[taq_review]

Segue promo do próximo episódio:

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER