Trilogia Mass Effect: Uma Ópera Espacial

Considerado uma revolução em sua época, Mass Effect é uma ópera especial em três atos.

We impose order on the chaos of organic evolution. You exist because we allow it, and you will end because we demand it.– Sovereign

A trilogia Mass Effect é uma série de Ação/RPG de ficção cientifica produzida pela Bioware. Teve seu primeiro título lançado em 2007, inicialmente apenas para X-Box 360, e posteriormente para PC e Playstation 3.

O jogo é uma ópera espacial que conta a história do comandante Shepard, um militar humano que precisa salvar a galáxia de uma raça alienígena sintética que deseja destruir toda a vida orgânica do universo.

Em 2148, os humanos estão desbravando o universo, dando início à colonização de outros planetas. Durante uma expedição a Marte, eles encontram as ruínas de uma raça alienígena: os Protheans (uma raça muito avançada tecnologicamente), que foi extinta há 50.000 anos. Foi possível, nessas ruínas, extrair a tecnologia dessa raça, e informações sobre um artefato chamado de um “Mass Relay” que orbita plutão.

masseffect

Após a expedição, os humanos retornam à Terra com esses dados, e a tecnologia humana avança mil anos. Com isso, diversas sondas são enviadas para buscar informações sobre o que é o Mass Relay (que até então se pensava ser um satélite). Com a falta de respostas das sondas, uma equipe é enviada para tentar descobrir o que ocorreu.

Ao se aproximar do Mass Relay, o artefato é ativado e leva a nave humana para anos luz do local em que estavam em segundos. Assim, eles descobrem que o artefato na verdade fazia parte de uma rede de transporte que liga diversos pontos da galáxia num velocidade extremamente rápida.

Com a descoberta dos Mass Relay, a humanidade começa a explorar cada vez mais o universo, e em uma dessas expedições, têm o primeiro contato com uma raça alienígena: os Turians. Trata-se de uma raça militar que já estava observando o que os humanos estavam fazendo, e nesse encontro acabam entrando em guerra com a humanidade. Essa guerra foi chamada de “A Guerra do Primeiro Contato”. Ela durou anos, até que o conselho intergaláctico interveio para que houvesse uma trégua.

Dessa forma, os humanos descobriram que não só existiam os Turians, como uma infinidade de outras raças. Os mesmos foram levados a Citadel, que funciona como uma capital do universo, onde todas as raças que conseguem evoluir tecnologicamente e encontrar os mass relays se reúnem. Neste local conseguem descobrir mais informações sobre os Protheans e a outras raças que habitam o universo.

O conselho é composto por uma Asari (raça mais evoluída existente, e a primeira e encontrar a Citadel), por uma Salarian (são seres muito inteligentes e com metabolismo acelerado, sendo a segunda raça a encontrar a Citadel) e um Turian (uma das últimas raças a chegar na Citadel, mas devido a sua expertise militar conseguiram uma vaga no conselho).

Toda essa história é encontrada no “Codex” do jogo, uma espécie de enciclopédia que vai acrescentando maiores informações à medida que você avança na história.

O jogo é iniciado com o Comandante Shepard (podendo escolher entre um personagem masculino ou feminino e customizar a sua aparência), integrante do N7 (uma equipe de elite militar humana) e no comando da nave Normandy.

O conselho intergaláctico está estudando a possibilidade de lhe conceder a posição de espectro (um soldado de elite comandado somente pelo conselho que está acima de qualquer governo, de qualquer planeta), posição que nunca havia sido concedida a um humano.

Em sua primeira missão, você é designado para recuperar um artefato Prothean, que foi encontrado no planeta Eden Prime. Um espectro Turian chamado Nihlus será responsável por te avaliar, e será um de seus acompanhantes nesta missão. No planeta, você encontra os dois primeiros tripulantes de sua nave: Ashley Willians e Kaidan Alenko (ambos humanos).

Ao iniciar a missão, Nihlus vai à frente e ao correr atrás dele e entrar em seu campo de visão, você o avista de longe, conversando com outro espectro Turian, chamado Saren. Ele é o maior dos espectros, uma lenda e extremamente respeitado. Após um tempo de conversa, Saren saca uma arma e mata Nihlus. Você corre na sua direção e ele envia um exército de Geths (uma raça robô criada como uma inteligência artificial) para te atacar e foge em sua nave Sovereign, uma nave como nunca vista antes.

Após o ataque, você segue para cumprir a sua missão e finalmente encontra o artefato, que está danificado. Ao se aproximar, ele é ativado e envia diversas visões desconexas e perturbadoras que você não entende. Após isso, o artefato se quebra totalmente.

Ao retornar para Citadel para ser julgado pelo conselho pelas suas ações, afinal um espectro foi morto e o artefato foi destruído, você conta a sua versão dos fatos e diz que Saren é um traidor e matou Nihlus. O conselho não acredita, afinal é a palavra de um humano contra um espectro extremamente respeitado. Diante disso, eles acham que você está mentindo e exigem provas do que está contando. A partir desse momento, toda da série tem seu início.

O jogo foi uma revolução na sua época de lançamento, por ser uma mistura bem feita com elementos de RPG e de Shooter, com belos gráficos. Contém uma história rica e envolvente, de níveis “tolkianos”, que te faz se importar com os seus personagens e sofrer com cada decisão difícil que deve ser tomada. Um dos grandes diferenciais do mesmo é a capacidade de você fazer sua própria história, onde suas ações afetam os eventos que ocorrem durante toda a trilogia. Então, uma decisão não tão pensada tomada no primeiro jogo pode afetar eventos do terceiro.

Se no quesito história o jogo é irrepreensível, o mesmo não pode ser dito de sua jogabilidade, que é muito deficiente e complicada, sendo necessárias diversas pausas durante a ação para poder ajustar mira e controle das armas. O que falar então do controle do mako? Trata-se de um veículo de exploração usado no jogo, que é complexo de se dirigir, sem contar que o mesmo nunca vai para o lado que você quer que ele vá, causando muitos problemas em fugas e ataques com o uso do veículo.

Outro ponto em que o jogo se sai muito bem é em sua trilha sonora, que combina muito bem com o clima futurista no qual se propõe. A música de encerramento M4 (PART II), da banda Faunts, finaliza o primeiro jogo te deixando ansioso para o próximo título da série.

Apesar de pecar em sua jogabilidade, o primeiro capítulo da saga consegue prender o jogador pela sua história, trilha sonora e inovação, ao misturar o melhor do mundo do rpg com o melhor dos shooters e jogos de ação. A sua mecânica com as tomadas de decisões e suas consequências em capítulos posteriores da série serviram de inspiração para outro jogo da Bioware: Dragon Age. Vale a pena dar uma chance! Mass Effect se consolidou como uma das melhores franquias criadas na geração passada e ainda tem muita história para contar. Para aqueles que são fãs de ficção cientifica, é um prato cheio.

Essa foi a minha estreia aqui no Box e espero que vocês tenham gostado. Eu irei contribuir com a parte de games do site, com críticas e notícias relacionadas ao tema. Até a próxima semana com a crítica de Mass Effect 2.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!