TWD 3×10 — Home

A esquizofrenia é uma doença cerebral grave, acometida por diversos fatores tanto ambientais quanto genéticos, que pode levar o doente a ter sentimentos diversos, dentre eles: apatia, falta de preocupação social e mesmo alucinações e ilusões. Num mundo pós-hecatombe zumbi, onde os valores foram destruídos e a sociedade está num processo de reinvenção, seria fácil encontrar, dentre os sobreviventes, aquele que apresente alguns desses sintomas, ou mesmos todos.

Home trás a tona pontos dos quais a série torna-se mais um drama psicológico que uma série de ação. A busca pela liderança na prisão é mais evidente, e grupo precisa lidar com o fato de Rick estar incapacitado para realizar a função. Começa então o grande embate humano (e isso quase soa irônico) entre o vigor da juventude (representado por Glenn) e a sabedoria da maturidade (por Hershel). É muito pouco provável que Glenn se dê melhor nessa, e como vimos no decorrer do episódio, nenhum dos dois se encontrava totalmente errado. Na verdade, a falta de liderança foi crucial para que o ataque do Governador tivesse tanto impacto.

Enquanto o grupo da prisão permanece perdido em sentimentos contraditórios, o grupo de Woodbulry volta a se organizar, como feudo que é, sob a tutela de Phillip. A cidade confia no Governador, mas ele sabe que Andrea tem o seu valor para aquele povo, que eles a enxergam como uma mulher forte, que venceu as adversidades e conhece bem esse Admirável Mundo Novo. Este em um ponto se aproxima e muito do ambiente criado por Huxley: O conceito de família já não existe mais.

A lei da selva levou a Daryl abandonar Merle a própria sorte na floresta. Os comportamentos do irmão mais velho estavam dificultando a sobrevivência frente aos novos desafios do mundo. O cara passou muito tempo em Woodbulry e absorveu a arrogância e a falta de regras do Governador, e não se mostrou capaz de ser cooperativo com Daryl. A grande chance de Merle voltar a desfrutar de uma aparente segurança na prisão foi ter sido cooperativo pela primeira vez na história e ajudar a livrar Rick, o novo Tarso Cadore, de uma orda de zumbis.

O tema filosófico é bem mais profundo em The Walking Dead que imaginado a primeira vista. A dualidade do peso e da leveza, como Kundera discutiu em A Insustentável Leveza do Ser, no qual a liberdade é posta a prova pelos irmãos.

twd-rick-3x10

Cara, eu voltei por você. E você já tinha ido. Também não cortei a sua mão, você fez isso, muito antes de ficar preso lá. Você pediu por isso” — Daryl para Merle

Enquanto Merle experimenta a leveza descompromissada e a falta de um líder que dê rumos, Daryl experimenta o peso do comprometimento, por ter se fixado num grupo e assumir as responsabilidades que lhe foram atribuídas. Ao resolver ir à prisão com Daryl, Merle certamente irá enfrentar o lado pesado desta nova realidade, uma vez que aprontou muito com o grupo de Rick.

E nesse mundo, onde então se encaixaria o Lar, que dá título ao episódio? Lar é um conceito que remete a aconchego, confiança e segurança, que é basicamente o que os sobreviventes estão à procura. Rick está se refugiando em suas lembranças para não esquecer o que é um Lar, Andrea está tentando se adaptar à vida em um grupo cuja hierarquia é despótica, Tyreese e seus amigos (que ficaram assistindo aos acontecimentos no camarote ao lado) estão na luta desesperada por um lugar ao grupo, para se integrarem a colmeia e encontrarem uma função (tanto na série como junto ao grupo da prisão) e Michonne, que vem sendo de grande utilidade aos seguidores de Rick, está se firmando como confiável.

O Lar, nessa perspectiva, perde o sentido físico de casa e se torna uma nuvem de sentimentos que os personagens vêm experimentando. Uma coisa me preocupa com essa concepção da segunda parte da terceira temporada. Apesar de a audiência ter sido estrondosa, eu creio que o telespectador está esperando mais ação e menos drama em TWD. Acho fascinante enxergar o ideal filosófico da série, sob a minha ótica, e poder discutir abertamente, mas acredito que, para o bem da série, será necessário encontrar um equilíbrio entre os takes de ação e discussão psicológica da condição do ambiente atual, para não comprometer a audiência. Tanto que foi necessária inserir neste episodio a fúria do Governador contra o grupo da prisão para que este tivesse todo o impacto que teve.

Ainda é cedo para falar sobre os rumos que a série irá tomar daqui a diante, mas eu continuo apostando que a briga pelo poder será decisiva para definir o rumo dos personagens e da trama. O próximo episódio, I Ain’t a Judas será crucial para o grupo da prisão. Com um título deste, eu comecei a ficar tenso só de imaginar que se declarará um não-Judas. Fiquem com o promo e até lá.

P.S.: Fantástico o ataque dentro de um caminhão cheio de zumbis á prisão, fiquei mega tenso!

P.S.1: Já estava na hora de Maggie e Glenn discutirem o que houve, pelo menos agora o “china” tira a neura da cabeça, já basta um sequelado.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER