TWD 5×08 — Coda

Mid-season finale de The Walking Dead que se preze precisa de um momento UAUUUUUU e sem precedentes na série. Foi assim no massacre do Rancho Hershell, quando vimos Sophia-zumbi saindo do celeiro e sendo morta por Rick e na decapitação de Hershell pelo Governador no mesmo episódio da temporada passada. Fato é que a morte de Beth era iminente e muito bem arrumadinha, afinal de contas, será que somente neste episódio Maggie deu conta que seu irmã estava desaparecida e começou a preocupar-se com ela?

Ou este sentimento que fica deve ao fato de as duas, apesar de queridas, definitivamente não fazerem parte do elenco principal da série, ficando sempre em segundo plano? Sophia também era segunda plano, mas cresceu com seu desaparecimento, pois proporcionou crescimento à personagem de Carol. A captura de Beth e o plano de troca dela e de Carol pelos policiais ganhou cena nos últimos episódios — péssimos, por sinal — foi morna. Por mais que queiramos o grupo todo de volta, e ainda estamos falando da separação pós-prisão, o que ele realmente acrescentaria à trama?

A série abusa do clímax em cima da morte de certos personagens, mas está, aos poucos, esquecendo que uma morte para ter impacto desejado deve ser de alguém que tenha mais centralidade na série. Como foi a de Shane, lá na segunda temporada. A morte de Beth foi emocionante, bonita, mas não deve ser posta no mesmo patamar das mid-season finales passadas. Não muda em nada para o grupo de Rick, a não ser que Maggie, uma personagem terciária, que tem agora um motivo para expressar seus sentimentos.

Fato mesmo é que Rick volta aos eixos. Após longo luto pela traição/morte de Lori, ele volta a tomar as rédeas do grupo e lidera aqueles que acompanhamos em sua jornada de sobrevivência. E existe ainda uma discussão sobre o nome do episódio: Coda. Em alguns dicionários, o termo significa a parte final de uma história, seja ela musical ou dramática. Aqui reside a grande significância do episódio. A morte de Beth pode desencadear um novo rumo para a série, e neste título está a pista do que vem a seguir.

TWD 5x08

Como lidar com o grupo que, a esta altura, não tem um referencial para seguir? Para onde ir? O imbecil do padre Gabriel resolveu dar uma de São Tomé e ir à escola ver o que tinha acontecido. Não bastava ele estar em risco, ser de alto risco, uma vez que não é apto a matar nenhum errante, ele resolve que, pela fé, ele conseguiria ir e voltar sem ser morto. Sério, padre? Deus não ajuda muito nessas horas, não. O deus da vez seria Charles Drawin, aquele que postulou a ideia que somente os mais adaptados sobrevivem. Adaptação ao meio é fator primordial à sobrevivência neste mundo.

Rick então surge como o líder ideal. Apesar de ainda ter que se justificar para Daryl, ele sabe o que deve fazer daqui para diante. Provavelmente por pensar que Judith precisa da força dele e de Carl para sobreviver, até poder se virar sozinha, que ainda existem muitos no grupo que são dependentes dessa moral que ele imprime no grupo e de suas decisões. Alguém precisa tomar as decisões, e com Carol internada e Daryl descontrolado, Rick tem que reassumir o papel de liderança no grupo. Quem ganha com isso somos nós, os espectadores, que deixamos o ódio dele de lado e passamos a o admirar.

Assim, o que será de Sasha daqui para frente? Tyreese entendeu bem as forças que levam os personagens a abandonar as suas convicções morais e fazer o que for necessário parece ser mais apropriado às conjunturas atuais. Sasha começa a mostrar sinais de estresse pela perda de Bob e pela falta de perspectiva que ela vê naquele grupo.

E é exatamente isso que a segunda parte desta temporada precisa trazer ao grupo completamente devastado e desestruturado: perspectiva. Volto a Eugene, que apareceu por um segundo neste episódio e dormindo. Em algum momento, o que será feito daqui para frente, sobre a ótica de Rick e Abraham, deve convergir para um caminho comum. Ir a Washington é um dos sonhos do fãs da série, pois eles sabem o que tem na cidade, e ela é um dos pontos fortes das HQ’s. Pelo que eu já li, espero que eles decidam ir à cidade sim, e mude de vez a dinâmica da série. Pode ser isso que Coda significa: uma ruptura brusca no padrão que nós conhecemos e novos ares aos personagens.

Para mim, a parte mais interessante do episódio foi o epílogo: quem está dando as pistas para Morgan Jones? Agora ele tem certeza que Rick está entre as pessoas deste grupo que ele caça. E saber que há um “traidor” entre os integrantes do grupo é assustador. Vamos aguardar que este plot se desenvolva bem.

A série volta em 8 de fevereiro de 2015, e nós vamos continuar aqui a cobrir a série, como sempre o fizemos. Usem o espaço abaixo para comentar, discutir, me xingar e tudo que vocês tem direito! Fiquem com a promo da volta e até o próximo ano!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER