Veja 3 bafafás e 3 estreias de releituras na TV

Nos últimos dias, 3 bafafás e 3 estreias de releituras na TV marcaram os bastidores de nossa telinha tupiniquim.

3 bafafás e 3 estreias de releituras na TV. Essa é a semelhança que BOXPOP descobriu ao observar tudo o que andava rolando nos bastidores da TV nos últimos tempos.

E não para por aí! Os 3 bafafás envolvem 3 apresentadores de TV. E 2 deles foram 2 broncas para apresentadores por falarem — será? — demais. E teve 2 deles que representaram 2 voltas de apresentadores afastados ao batente.

Já as 3 estreias que aconteceram em nossa TV, as 3 são releituras de programas que fizeram sucesso no passado. Será que acabou a criatividade de nossos profissionais?

Confira os 3 bafafás e 3 estreias de releituras na TV:

Volta do Geraldo Luís

Geraldo Luís voltou ao comando do Domingo Show no último dia 22, após uma “suspensão definitiva” da Record, com direito a estudo de rescisão de contrato.

Agora, como se nada tivesse acontecido, Geraldo Luís e Record estão de bem, o que surpreendeu até os mais pessimistas. Mostraram que para tudo se dá um jeito e que, para alguns casos, é fácil pedir perdão — principalmente, quando se tem um contrato pela frente: Geraldo Luís tem contrato com a Record até abril de 2017 — uma multa que chega na casa do 1,5 milhão seria o principal motivo. Mas o jogo virou e até rumores davam conta de que existia um movimento de bastidor para tentar convencer Geraldo Luís a antecipar a renovação do seu contrato.

Além disso, o perdão para Geraldo Luís foi o único caminho encontrado pela emissora, ao perceber que o Domingo Show reúne características muito marcantes dele, fazendo com que não fosse substituído tão facilmente, — nem mesmo por Luiz Bacci, que sem nenhuma responsabilidade no caso, entrou para fazer o melhor possível.

Deslocando Bacci para o dominical, o Balanço Geral Manhã sofreu uma queda de audiência ao substituí-lo por Tino Junior. Conclusão: a Record mais uma vez precisou entender que TV é um brinquedo caro e que não se resolve com atitudes imprudentes.

Tudo começou quando o apresentador fez reclamações ao vivo sobre cortes que Geraldo achava imprescindíveis de uma reportagem especial sobre José Mário Teixeira do Nascimento, o cantor Zezo — um milionário ex-catador de lixo -, devido à transmissão da sessão da Câmara dos Deputados que votou pelo Impeachment de Dilma Rousseff, que fez com que o Domingo Show fosse mais curto que o costume.

O apresentador disse ao vivo que estava “muito triste” com a intervenção da emissora em sua reportagem e insinuou que colegas da Record são covardes.

A princípio, Geraldo Luís seria castigado, ficando fora de apenas 1 edição do Domingo Show, sendo substituído por Luiz Bacci, assim como a emissora fez em dezembro de 2015, quando Bacci foi escalado para fazer uma reportagem com Mara Maravilha. Na época, a punição aconteceu porque Geraldo estava em conflito com Rodrigo Faro.

Porém, o caldo entornou quando a coisa chegou no Edir Macedo, que não gostou do desabafo de Geraldo Luís e tirou satisfações com Douglas Tavolaro, vice-presidente de jornalismo da Record. A partir daí, a suspensão, que duraria só uma semana, viraria definitiva.

A emissora chegou a expulsar o apresentador de seu camarim em São Paulo, com direito a pertences encaixotados e devolução de figurino usado por Geraldo.

Advogados chegaram a ser acionados para estudar uma possível rescisão de contrato, não bastando a geladeira, pois uma reclamação pública da Record usando a própria emissora foi considerado grave: era possível alegar que Geraldo descumpriu uma cláusula contratual, em que ele não poderia criticar a Record, nem mesmo por questões técnicas.

Porém, parece que o que pesou também entre o alto escalão da emissora foi a compra de uma briga judicial que faria de Geraldo Luís o “mocinho” ou mesmo vítima de toda a história.

Em paralelo, o apresentador chegou a sondar SBT e RedeTV!, mas as negociações não avançaram com as concorrentes.

Afastamento do Luciano Faccioli

No mesmo caminho de Geraldo Luís, está Luciano Faccioli. O jornalista que apresenta o Olha a Hora! também foi suspenso por sua emissora, a RedeTV!, por criticá-la ao vender uma hora de sua programação para Igreja Universal do Reino de Deus durante edição do dia 1º.

Na última quinta (2) e na sexta (3), ele não apresentou o Olha Hora!, sendo substituído por Fabio Barreto. A suspensão deve durar por 3 dias.

Olha a Hora! começaria às 17h, mas por causa da venda de horário para a igreja, acabou tendo início às 18h.

Só que essa alteração da programação pegou não só espectadores, mas o apresentador e sua equipe de surpresa, já que todos estavam se preparando para a entrada ao ar na mesma hora e no mesmo canal!

A equipe de Faccioli só foi avisada às 16h30, meia hora antes de entrar no ar. Isso implicou em refazer o jornal às pressas, ao mesmo tempo que a equipe de programação da emissora tentava orientar as afiliadas com que programa preencher diante da mudança repentina. No lugar do telejornal, as afiliadas exibiram o programa Te Peguei, com algumas pegadinhas de anos atrás, além de reprise do TV Fama da noite anterior.

Faccioli abriu o programa e chamou um comercial, fazendo comentários irônicos:

Ave Maria. Tivemos o horário de programa religioso, ou seja, como diria o filósofo e eterno poeta Jorge Ben [Jor], abençoai-vos Deus e bonitos por natureza. Surpresos? Nós também, mas segue o barco. Até as 19h15, estamos no ar.

Começa o Olha a Hora, com o jeito RedeTV!. Aliás, não esqueça nunca, é a emissora de TV que mais cresce no Brasil, ô se é.”

A decisão de suspensão de Faccioli partiu dos donos Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho.

Ana Hickmann volta ao trabalho

Ana Hickmann voltou a apresentar o Hoje em Dia na terça-feira (31), após uma semana afastada da atração, para que pudesse se recuperar do trauma sofrido pelo atentado praticado por um fã em Belo Horizonte (MG).

Durante esse tempo, a ordem foi para que a apresentadora se afastasse da TV e de seus compromissos profissionais, evitando aglomerações e entrevistas, até que se diluíssem as lembranças dos momentos enfrentados no quarto de hotel em BH, além do trauma de saber que o agressor foi morto. A apresentadora ficou em casa, ao lado da família, o que permitiu que aos poucos conseguisse tirar da cabeça.

Ana Hickmann começou a retomar a rotina aos poucos quando, quatro dias depois do ocorrido, se manifestou nas redes sociais, compartilhando a imagem de uma rosa branca e agradecendo a todas as manifestações de carinho dos fãs.

Já no Hoje em Dia do dia 23/05, quando falou por Skype, ela disse que não mudaria a forma com que interage com os fãs por redes sociais, acreditando que as pessoas são boas e que é uma forma de comunicação que a aproxima de quem gosta.

Ana Hickmann foi recebida por um discurso de Cesar Filho.

Estreia de Haja Coração

Embora o primeiro capítulo de Haja Coração tenha soado um tanto “didático”, já que houve algumas cenas que tentavam deixar claro para o espectador o passado e a relação entre as famílias Di Marino e Abdala — assim como a prisão de Giovanni (Jayme Matarazzo) -, a estreia da nova novela das 19h30 deu mostras de que reúne todos os elementos que podem cativar o espectador desse horário no longo prazo.: uma novela com destaque para comédia, além de muito colorido, destacando a leveza que a trama se propõe, com todos os ingredientes da mistura que faz de São Paulo o caldeirão cultural do país. A novela ainda está no começo e, logo, ajustes pontuais podem trazer aquilo que o espectador realmente espera, desenvolvendo todos esses potenciais que a novela apresenta, se detectados a tempo e colocados no caminho certo, após um grupo de discussão. O deboche, que ficou evidente na “crítica” aos reality shows, com Leonora Lammar (Ellen Roche), é um elemento que tem no horário das 19h30, por exemplo, sempre uma grande acolhida.

Com certeza, o publico já mostrou para os altos executivos que em tempos depressivos de crise econômica e política, o que o espectador mais quer é relaxar ao ligar a TV, com uma programação para cima.

Estreia de TV Mulher

A TV brasileira nada ultimamente numa nostalgia. De uns anos para cá, estamos numa onda de remakes, entrando num verdadeiro revival de grandes atrações.

Nesse sentido, o canal Viva já fez releituras de Sai de Baixo, Globo de Ouro e Escolinha do Professor Raimundo nos últimos anos.

A ideia do canal Viva de atualizar TV Mulher, um programa icônico dos anos 80, que aliado a Malu Mulher, discutiu a agenda feminina e o papel da mulher nas esferas econômica, social e política de forma revolucionária para a época, ao trazer um pouco da linguagem radiofônica ao formato revista eletrônica.

Os programas televisivos voltados para a mulher eram exclusivamente culinários, fazendo com o grande companheiro da mulher atarefada, dividida entre casa e trabalho, fosse o rádio. De olho nesse público que poderia migrar de um meio para outro, Boni concebeu o programa com quadros comandados por apresentadores próprios e de curta duração, com vinhetas de abertura e encerramento, que estão presentes na atual versão do Viva.

E claro que Marília Gabriela, umas das apresentadoras que deixou sua marca registrada no programa, foi a bola da vez para resgatar a abordagem de assuntos do cotidiano feminino sob uma nova perspectiva, mesmo trazendo tópicos que não saíram da pauta, após 36 anos — o programa dominou as manhãs da Globo de 1980 a 1986.

Um fato é que com a liberdade se tem hoje é possível avançar em alguns temas que para a época de 1980 poderia parecer “revolucionário”: somado a isso, reviver o TV Mulher na TV fechada intensifica ainda mais essa liberdade de expressão dos temas, que talvez ainda não tenha espaço na TV aberta.

O primeiro programa abriu com um editorial que era uma verdadeira carta de Marília Gabriela a Elis Regina, primeira entrevistada do TV Mulher no quadro Ponto de Encontro. Teve até entrevista com Maria Rita, que participou da primeira edição, quando sua mãe a levou para o programa, ficando em seu colo. Assim como a mãe fez quando era criança, Maria Rita levou a filha, Alice, com idade muito próxima à da filha de Elis Regina em 1980.

Quanto aos outros quadros, TV Mulher mostrou que o fato de ser gravado — diferentemente do matinal global, que era ao vivo — possibilita um conteúdo inteligente e mais selecionado, misturando jornalismo, comportamento e entretenimento com qualidade, que poucas vezes se vê na TV aberta e mesmo na TV fechada. Inclusive, por questões técnicas, não foi possível incluir a questão da cultura do estupro, em vista dos últimos acontecimentos, e que tem relação direta com o universo feminino. Porém, Marília Gabriela já fez uma entrevista com Carmen Lúcia, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) abordando o tema e também outras questões femininas, que será incluída no segundo programa.

Estreia de Escrava Mãe

Batendo de frente com Haja Coração, na faixa das 19h30, Escrava Mãe foi enfim tirada da gaveta pela Record.

A novela foi adiada 4 vezes: primeiramente prevista para suceder Os Dez Mandamentos em novembro de 2015, passou para 26 de abril; depois, para 16 de maio; para 30 de maio e finalmente para 31 de maio.

Com um acabamento de cenografia e fotografia poucas vezes visto em novelas da Record — talvez o fato de ter sido produzida pela produtora Casablanca seja a resposta -, Escrava Mãe não é propriamente um remake de Escrava Isaura, novela que fez sucesso mundial, a partir das versões de Globo (1976) e Record (2004).

Essa novela parte das origens daquela sobre a escrava clara, remontando a história da mãe de Isaura, Juliana (Gabriela Moreyra) e sua paixão por Miguel (Pedro Carvalho).

Com certeza, a novela tem tudo para atrair aquele público que gosta de novelas de épocas, em que histórias de amor e as diversas tramas paralelas ambientam o período da escravidão, comum a muitos títulos de nossa teledramaturgia com alto padrão de qualidade.

Será que é capaz de abalar a Globo? A concorrência entre as duas emissoras prometia ser acirrada logo no dia 31 de maio, com diversas estratégias por parte das duas concorrentes, como intervalos comerciais cancelados.

No Ibope, os números mostraram que a novela da Record não afetou tanto a audiência da Globo: 13.9 contra 27.3, que aproveitou o embalo de Totalmente Demais e iniciou com 27.3 de média, 2.3 pontos a mais que o começo de sua antecessora. Quem sentiu mesmo o primeiro impacto foi o SBT, que já realizou alguns ajustes para conquistar seu público, visto que Escrava Mãe conquistou sua plateia e deve continuar na vice-liderança.

Deixe seu comentário e vamos continuar falando ainda mais de nossa TV! Até a próxima coluna!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER