Viaje Para Júpiter com o Silva

Depois de Claridão e Vista Pro Mar, o cantor Silva lança o disco Júpiter.

O cantor e multi-instrumentista capixaba Lúcio Souza Silva está com disco novo! O disco Júpiter, que é o mais pop da carreira solo de Silva, já está em todas as plataformas de streaming e também está disponível em formato físico e eletrônico. O novo disco vem com 11 músicas, sendo 1 regravação e outras 10 inéditas.

Silva começou a sua carreira no meio gospel. Ele era o principal parceiro do irmão Lucas Souza, que fez um tremendo barulho na comunidade protestante a partir de 2004. Dentro do projeto Lucas Souza e Banda, Lúcio Silva, o nosso Silva, já mostrava seu talento sendo co-compositor na maior parte das músicas da banda. Como vocalista ele marcou presença no álbum Doxologia, de 2007, emprestando sua voz para a música Quando Jesus Estendeu a Sua Mão. Para quem não conhece, vale à pena conhecer esse outro lado não tão MPB do Silva, clicando aqui.

Silva e Lucas Souza

Os irmãos Lúcio Souza Silva (à esquerda) e Lucas Souza Silva (à direita)Paralelo aos trabalhos com Lucas Souza e Banda, em 2011, Silva liberou um EP com cinco faixas na internet. As faixas, que contava com a participação do irmão Lucas nas composições e melodias, geraram muito repercussão e todo mundo queria ir atrás daquele novo artista quase que desconhecido. Esse buzz já foi suficiente para uma gravadora “chegar junto” e logo lançar, em 2012, o primeiro disco solo, Claridão.

Enquanto isso, Lucas Souza e Banda lançava o mais bem sucedido cd/dvd Caminhos da Revolução. Apesar do sucesso do disco, em 2013 Lucas anuncia o fim dos trabalhos da banda. O que muita gente não sabia é que Lucas estava saindo de cena para se dedicar exclusivamente à carreira de Lúcio Souza Silva.

Abaixo podemos conferir o vídeo de A Visita, que é fruto desse primeiro trabalho de Silva:

Em 2013, Silva grava com a também estreante Clarice Falcão, a música Eu Me Lembro. A música, que fez parte do disco da cantora, tem uma história bonitinha de como um casal se conheceu. O diferencial da canção é que cada um conta a sua versão de como as coisas aconteceram, mas no refrão eles afirmam que se pode perguntar qualquer detalhe que ambos lembram. Nas entrelinhas, dá de entender que os detalhes pouco importam quando se ama de verdade. Infelizmente, a música não teve clipe promocional, mas a galera do YouTube deu um jeito de resolver isso e postaram o vídeo abaixo que ilustra bem essa música:

Com um pouco mais de experiência, muito mais alegre e muito menos melancólico, Silva lança Vista Para o Mar. O segundo disco, lançado em 2014, apresenta uma nova sonoridade e uma pegada mais pop. É um álbum para ouvir enquanto pega uma onda ou para

Silva

quem gosta de ficar vendo a grandiosidade do mar. Nas músicas, se percebe claramente a influência que o litoral capixaba trouxe para a vida e para a arte do cantor, que viveu a infância e juventude no Espírito Santo. Essa influência fica bastante evidente na faixa Capuba, que é o nome de uma das praias do Estado. Podemos destacar a faixa Janeiro que virou single e ganhou também versão em inglês. Porém, a cereja do bolo fica por conta da parceria que o cantor fez com Fernanda Takai, a vocalista do Pato Fú, na canção Okinawa. Para quem não conhece a parceria, aperte o play e assista o clipe da música:

Ainda sobre Vista Para o Mar, podemos destacar também a turnê que percorreu todo o Brasil e deu origem ao disco ao vivo, lançado com exclusividade para as plataformas de streaming. Esse álbum ao vivo contou com a participação de Fernanda Takai, Lulu Santos e Don L. Esses dois últimos foram responsáveis pela parceria de Silva na música Noite, lançada já em 2015, pouco antes do lançamento do novo disco. Pela pegada de R&B americano da música, já dava para sentir que algo novo estaria por vir no novo disco de Silva. Se quiser conferir a parceria clique aqui.

silva_6

No centro o cd ‘Vista Para o Mar’ rodeado do material promocional de Júpiter.E finalmente, depois de perambular pela Noite, Claridão e Mar, Silva chega a Júpiter, nesse final de 2015. Nesse disco, o cantor mostra que é mesmo uma metamorfose ambulante, porque o álbum vem com uma sonoridade ainda mais pop e letras ainda mais maduras e profundas. A parceira com o irmão Lucas Souza continua, mas nesse novo trabalho tem também apoio dos músicos Hugo Coutinho e Rodolfo Simor.

Já para abrir o disco, ele quer que se mandar para um mundo diferente, onde não há preconceitos, guerras, intolerância ou qualquer tipo de violência. Nas palavras do próprio Lúcio: “,, aqui, é um lugar onde o amor tem a possibilidade de vencer, sem adiamentos ou desculpas”, trecho extraído do site oficial do cantor.

Depois de Júpiter vem Saturno Sufoco, que fala sobre um amor meio que impossível. É uma letra que explora aquela velha história de quando um quer e o outro não. Uma letra complexa e densa, mas que parece ser tão simples devido à melodia da música.

A terceira faixa é Eu Sempre Quis que é uma declaração de amor para uma pessoa que chegou e conquistou o coração da outra. Essa história virou o primeiro clipe que podemos conferir logo abaixo:

A história de Sufoco e Eu Sempre Quis parece ter um final feliz na música Feliz e Ponto. Dá aquela sensação que depois da declaração de amor em Eu Sempre Quis, a pessoa que não queria nada em Sufoco resolveu ceder e ficou apaixonada. Dá tanto essa sensação de começo, meio e fim, que depois de Feliz e Pronto, vem a vinheta de 60 segundos Io.

Na sexta música, Silva continua sua história de amor em Sou Desse Jeito. Dessa vez, ele afirma que apesar do jeito dele de amar ser diferente, esse jeito não é errado, não é defeito. É o eu lírico falando mais alto, em mais uma canção de Silva.

O amor continua no ar em Nas Horas. Nessa música, parece que ele pega a sonoridade de Claridão e Vista Para o Mar e chega no som ideal para Júpiter. O clima mais energético com a sonoridade po

Silva

p do álbum continua no ar na Se Ela Voltar. Nessa, o cantor fica preocupado pensando se a musa do seu coração foi embora ou se ela volta. Porém, ele declara que se ela não der notícia ele não vai ligar, mas se ela voltar ele dirá que a ama.

Se formos pensar que o disco foi todo construído de forma linear, o nome da musa é Marina e depois que ela voltou, ele ficou de mal. E a Marina do disco é a mesma de Dorival Caymmi, só que com um arranjo mais moderno. É Silva fazendo uma re-leitura de um clássico da MPB. Há quem aposte eu que a Marina de Silva é melhor que a de Gilberto Gil. Comente aí abaixo qual você prefere!

E para fechar a historinha de amor, temos Deixa Eu Te Falar. Parece que ele fez as pazes com a Marina morena e vem afirmar que ela é a musa dele, é o ‘Plano A’, é aquela que faz o coração dele batucar. A música tem uma sensualidade própria, sem ser apelativa. É bem costurada com o arranjo e a voz.

O disco finaliza com Notícias, onde Silva reforça novamente a ideia de fugir. É mais um poema em forma de canção. Na letra ele não afirma que queira ir para Júpiter, mas diz que que vai seguir “pra onde houver ar puro / Junto de uma gente que quer encontrar / Algum lugar, um rumo / Se eu ficar aqui eu vou pirar”. Então deixa ele ir, mas vai e volta, não deixe de nos agraciar com suas belas músicas!

Para quem ainda quer mais de Silva, e também se mandar para Júpiter, clique aqui e ouça no Spotify!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER