5 spinoffs de LOST

O site Paste Magazine publicou uma lista bacana om cinco propostas de séries baseadas no universo de LOST. Elas teriam a difícil missão (ou pretensão) de subistituir a original. Seria isso possível? Não sei! Só sei que me empolguei, peguei o que eles escreveram, fiz um mix do que eu gostaria de ver e lancei tudo junto misturado! Quero deixar claro que esta é uma brincadeira feita sem o intuito de ofender os fãs da série. Espero que todos levem na esportiva e até colaborem na maluquice! O que de Lost poderia render um ótimo spinoff? Bom, as minhas ideias estão abaixo:

1. Hurley McDharma

Hurley é o magnata dos fast-foods americanos, um ícone a ser venerado por conta do ser humano caridoso que é. Dono de um novo império de redes alimentícias de má qualidade, mas que todo mundo adora, vive ajudando a todos que batem em sua porta.

Kate, recém liberada da prisão, não consegue arranjar emprego, mas acaba sendo acudida pelo amigo, que lhe torna gerente de uma de suas franquias de KFC Wannabe. Hurley acaba assumindo o trabalho pesado enquanto Dona Kate passa a tratar todos os funcionários com grosserias, fazendo da vida dos empregados um inferno maior do que o das crianças chinesas que trabalham para a Nike. Isso por conta de hamburgueres passados e rolos de papel higiênico vazios no banheiro.

Ocasionalmente teremos participações especiais do elenco original de Lost nesta série que será exibida no CW e ninguém saberá ao certo se é um drama, uma comédia ou um reality show. Ah, uma das participações especiais mais intrigantes será a de Michael Emerson como Ben Linus. Ele virá para provar algumas asinhas de frango extra-crocantes. Ninguém saberá ao certo o que estará se passando em sua cabeça ardilosa quando ele lamber os ossinhos (além de seus dedos) após acabar com um balde gigante e dizer que aquela foi a pior refeição de sua vida!

2. Drama Policial Sem Título Estrelado por Sawyer e Miles

Sawyer é um policial durão que na realidade alternativa se casou com Miles, também policial, mas com o péssimo hábito de trazer a vida pessoal do casal à vida profissional — principalmente quando o boleto do cartão de crédito de Sawyer chega e ele faz questão de conferir, tendo a certeza de que vai encontrar o nome de um motel barato onde o marido gostosão supostamente marcaria seus encontros extra-conjugais.

Enquanto Sawyer banca o barra pesada da dupla policial, tomando as decisões mais pancadarias, Miles, seu parceiro em todos os aspectos, basicamente fica reclamando das decisões, pedindo para que haja um debate antes de que tais decisões sejam tomadas… Enfim, cumprindo o papel de mulherzinha.

Ah, vale citar que todo criminoso do dia servirá como base para a discussão do drama ocasional do casal e que as investidas da dupla nas cenas do crime são sempre conturbadas por conta das visões do além de Milles. A coisa é barra e nesta realidade ele é emo!

3. Shepherd’s Anatomy

O passado de Jack tem tudo que um novelão precisa, portanto não é estranho perceber que Shonda Rhimes comprou os direitos do personagem e passou a escrever sua vida numa outra realidade alternativa que ainda não conhecíamos: nela ele é um looser que nunca caiu numa ilha, mas carrega todo drama do personagem das realidades que vimos em Lost, como Dad Issues, Ex-Wife Issues, Drunk Issues, Bad Father Issues Etc Issues (esqueci alguma?).

Assombrado pelo fantasma de seu pai (literalmente) Jack é uma Meredith do universo paralelo, afinal esta também sofria com o passado fulgurante de sua mãe, uma ótima cirurgiã, assim como Christian, o bêbado que ainda era o Chief anterior do hospital. A trama se servirá de tumultuados relacionamentos românticos, personagens importantes misteriosos que ressurgem dos mortos, pegação ao extremo, histórias que transcendem o emocional e muita gritaria, isso sem esquecer seus amigos que se machucarão a torto e a direito, sempre buscando por seus cuidados de Doutor.

Em Shepherd’s Anatomy veremos nosso protagonista envolvido em triângulos amorosos com sua ex-esposa Kate e uma das obstetras, Juliet, com quem tem um envolvimento romântico inexplicável — algo assim… explosivo. Sua vida ficará abalada quando ele descobrir que Kate não tem consanguineidade com seu enteado Aaron, mas ele sim (afinal Aaron é filho da Claire que é irmã de Jack — será Jack tio de seu enteado?!).

É o ponto alto da temporada, isso até a chegada da Little Shepherd, mais um irmão bastardo de Jack, esse com memória fotográfica em full HD… Depois disso, o Shepherd original se casa com Juliet e fica meio apagado, servindo de escada para os dramas da Dr. Sun, que está envolvida com um problemático médico que serviu na guerra do Iraque (Dr. Sayid) e também para o relacionamento de Ana Lucia e Libby, as lésbicas cumpridoras de cotas que não se decidem sobre ter ou não um gato de estimação — tudo isso muda depois de um emocionante episódio no qual a carrocinha faz a rapa no bairro delas.

Muita morte, tira e tapa na cara. Essa série é barra MESMO! De raiz!!!

4. Rose & Bernard

Esta sitcom lembra muito Will & Grace, sendo que a versão Jack e Karen cabe a Ana Lucia (a personagem gay afetada tomboy) e Penny (a rica despirocada e bêbada). O feliz casal Rose e Bernard divide a sala de sua casa (que só tem este cenário durante os oito anos de seriado) com seus amigos mais próximos em disputas de Twister, Perfil e Imagem e Ação.

Eles não sabem perder! O casal, diferente de como estavam em Lost, se separou. Como está difícil financiar imóveis — afinal, na realidade paralela, o mundo não passou por nenhuma crise mundial financeira — eles decidem continuar morando juntos, quase que como num relacionamento moderno. Há recaídas, muitas recaídas… E você não vai querer ver estas cenas quentes de sexo geriátrico, acredite! Há também bacanais da meia idade e participações especiais da Madonna, Cher, Britney Spears, J. Lo e outros ícones gays que surgiram depois que Will & Grace acabou.

5. Drama Policial Sem Título Estrelado por Sawyer e Miles: Miami

Este spin-off do spin-off mostra a vida de Miles depois que ele finalmente descobre que Sawyer realmente o estava traindo — pelo menos foi o que ele concluiu ao ver que seu parceiro andava indo para Austrália escondido, enquanto dizia que ia a Congressos. Numa noite, baixa a Addison Montgomery nele e o “japinha” decide pegar seu carro e ir para uma cidade ensolarada.

Muito atrapalhado e totalmente descaracterizado do que já foi um dia na série original, ele segue adiante e se envolve com metado do elenco do novo distrito policial onde foi trabalhar. Como ele já estava cansado de Los Angeles, acabou indo para Miami mesmo. O que ninguém poderia esperar é que ele acabaria ficando encarregado de investigar o misterioso caso dos pedaços de corpos que começaram a aparecer nas praias da cidade. Ao que tudo indica um assassino serial multilava as vítimas e jogava os restos dos corpos em alto mar.

As condições do presunto não são das melhores, mas como Milles tem habilidades extra-sensoriais, ele começa a conversar com os fantasmas e descobre que eles tinham fichas pesadas na polícia! Seria este o caso de um serial-killer que mata criminosos?

Gente, fiquei tenso! Mas tenso mesmo eu fiquei quando ele começou a procurar uma casa para morar e acabou indo viver no outrora lar da família Morgan. Miles perde hooooras de suas manhãs trocando dicas de esmalte e babyliss com sua nova amiga, a loira do banheiro que atende pelo nome de Rita. Ela conta como foi assassinada por um velho psycho e como sua família se mudou por não conseguir mais viver naquele ambiente traumático. Miles faz tranças nela.

6 (‘plus a mais’). Sunchitita

Ok, ok! Eu sei que disse que seriam 5! Mas é que este spinoff é tão ruim que nem conta. É tipo, a proposta adolescente que a ABC tem para lucrar com o fim de Lost. Será transmitida na ABC Family, que como todos sabemos é a versão CW da ABC. Em Sunchitita, acompanharemos a vida de uma garota asiática órfã que é mantida pelo governo em uma instituição apenas para garotas. Lá todos são educados sob o pulso firme da recatada e recalcada governanta virgem de quarenta anos, Ernestina, que é puro castro.

Sunchitita tem o sonho de encontrar seus pais, mas não tem a menor pista de onde eles vivem. A garota está passando por uma adolescência difícil pois conheceu Mosca, que na verdade se chama Aaron, na escolinha e está sentindo um foguinho em suas partes, coisa que nunca sentiu antes. Enquanto todos os jovens de sua escola estão descobrindo seus corpinhos, ela é severamente punida toda vez que Ernestina a pega no flagra — chuveirinhos foram banidos do vestiário.

Para extravassar a tensão contida, Sunchitita passa a escrever poemas controveros e de duplo sentido que logo se tornarão músicas, como ‘Mexe Mexe Mexe com as Mãos’, ‘Ou na berlinda, ou na berlinda entrar’, ‘Tenho um CUração com buraquinhos’ e, já no início de sua fase adulta e revoltada, ‘You Oughta Know’.

Sim, a série será musical e a transmissão acontecerá no mesmo horário de Glee, na tentativa de esmagar a audiência da Fox. E quem é que não assistiria um spinoff musical de Lost, não é mesmo, meu Brasil? Ah, vale dizer que a vida da garota virgem muda quando surge em sua vida o segundo protetor da ilha, Ben, que a toca pela primeira vez.

Para consolar os fãs, todos os spin-off terminarão com um recurso narrativo em comum ao da original Lost!

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

The Handmaid's Tale voltou!!! O que rola de novo nesta temporada? Descubra mas SEM SPOILER!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!