Making off A Divisao Vila Vintem (Fot. Carlos Fofinho)
Making off A Divisao Vila Vintem (Fot. Carlos Fofinho)

“A divisão” – Nova série do GloboPlay assusta pelo realismo em retratar a onda sequestros do Rio de Janeiro nos anos 90

Nesta sexta (19) chega ao serviço de streaming do GloboPlay o thriller policial “A divisão”, serie original que retrata os bastidores de uma força tarefa que se uniu para acabar com a onda de sequestros que aterrorizava o Rio de Janeiro nos anos 90. A produção é uma união entre AfroReggae Audiovisual em parceria com o Multishow e a Hungry Man.

Rio de Janeiro, final dos anos 1990. Quando a filha de um influente deputado é sequestrada, o secretário de segurança pública do Estado coloca a Divisão Anti-Sequestro nas mãos de dois policiais com perfis e métodos de trabalho distintos.

Da mediação a produção da série e filme

José Junior está a frente do Afroregge – uma organização não governamental com a missão de promover a inclusão e a justiça social por meio da arte, da cultura afro-brasileira e da educação. Por suas conexões Junior já mediou diversos conflitos entre polícia e traficantes em comunidades cariocas.

José Júnior – criador – em 2010 foi chamado pela DAS (Divisão Antissequestro) para mediar um conflito no Complexo do Alemão por conta de uma operação de ocupação. A mediação foi um sucesso e com isso ele ficou mais próximo da organização, o que acabou rendendo em 2011 um episódio em seu programa “Conexões Urbanas” (Multishow) chamado “Dossiê Reimão”. O episódio obteve uma ótima recepção, havia muito interesse no assunto. “A ideia do projeto surgiu quando eu fazia o ‘Conexões Urbanas’, do Multishow. O trabalho da DAS foi a única ação de segurança pública que realmente deu certo no Rio (de Janeiro). A partir de relatos e personagens reais, decidi contar essa história”, falou no evento de lançamento em São Paulo.

Making off A Divisão no Morro da Coroa (Fot. Carlos Fofinho)

De início o material viria a ser trabalhado como livro pelo jornalista Plínio Fraga – convidado para tocar o projeto – mas com tantos relatos e histórias impactante perceberam que tinham potencial para migrar para outro tipo de produto. Foi quando os primeiros passos para a elaboração da serie e filme começaram: Vicente Amorim foi convidado para cuidar da direção (“Um homem bom”, “O caminho das nuvens”, “Irmã Dulce” e “Motorrad”) e Marcelo Torres como produtor executivo entraram na estruturação do projeto.

Veracidade

Todos os personagens são espelhos de pessoas reais que vivenciaram os sequestros que assolaram o Rio de janeiro em 1990. Manter esse nível de veracidade foi um das principais questões que a produtora AfroReggae Audiovisual contribuiu a produção. No projeto estão incluídos policiais, vítimas e ex-criminosos, o roteiro conta com um ex-policial, José Luiz Magalhães que serviu de inspiração para Santiago, personagem de Erom Cordeiro. Essas experiências serviram para elevar o tom de realismo da produção. “Um momento muito importante pra mim foi quando a gente colocou o Marcos Reimão junto de uma pessoa que ele prendeu, o Polegar, que era chefe do tráfico”, lembra Júnior

Making off A Divisão (Fot. Carlos Fofinho)

Outro artifício usado foi a vivência dos atores com suas personas para a construção de seus personagens. Oficialmente apenas foi citado o ex-policial, José Luiz Magalhães, os demais colaboradores foram ocultados por questões éticas. Inclusive os atores passaram por treinamentos na Cidade da Polícia, um complexo da Polícia Civil do RJ: “Todos nós aprendemos a montar e desmontar arma, tivemos aula, demos tiro”, diz Guindane, que vive o policial o Mendonça na trama.

Os fins justificam os meios?

Making off do Filme DAS no Recreio (Fot. Carlos Fofinho)

Essa é a principal pergunta da série.

Com personagens que não se limitam em serem bandidos e mocinhos, onde dentro da trama tem seus próprios interesses e dramas pessoais. A produção se preocupou em levantar questões sobre as ações tomadas – muitas vezes de extrema violência – que levaram ao fim da situação de caos no Rio de Janeiro.“É a pergunta que a serie coloca ao espectador é se os fins justificam os meios. A gente não esta dizendo que justifica. É só uma pergunta que a gente coloca: as consequências da ação de inteligência e a explosão de violência vivendo em paralelo para resultar no fim da onda de sequestro teve consequências pessoais?” (aos personagens da vida real) […]” Essa é a complexidade humana que sempre nos interessou” […]

Em outro momento : […]” Não é um filme de propaganda da polícia nem de demonização dos bandidos. A diferença entre bandidos e polícia é uma linha tênue. E isso é claro para a gente como é claro no mundo real. Essa pergunta da série é uma pergunta que se coloca com grande urgência no Brasil de hoje. Vale a pena? O que acontece quando você atravessa determinado limite?” Destaca Vicente Amorim ao ser questionado sobre a retratação da violência e meios usados nas ações da divisão.

Contratempo nos ensaios em morro no RJ.

Making off A Divisão na Vila Vintém (Fot. Carlos Fofinho)

Logo nas preparações para dar inicio as filmagens a equipe enfrentou uma situação de medo: uma operação da policia no Morro de São Carlos.

A equipe vivenciou na pele a violência logo no início das preparações para as filmagens. Em setembro de 2017 houve uma ação policial no morro São Carlos, Rio de Janeiro, o que ocasionou uma troca de tiros no local do ensaio. Por sua experiência com mediações e conflitos, José Junior foi o responsável pela negociação entre o chefe da operação policial e o responsável pela boca de fumo: “Sentei com os dois e falei ‘olha só, preciso fazer o ensaio. Tem como segurar um pouco o tiroteio?’ Isso é uma coisa do AfroReggae, é uma coisa que faço há 500 anos”. Assim o tiroteio teve fim e os ensaios puderam voltar.

A Divisão conta com 5 episódios e está disponível somente na plataforma de streaming GloboPlay. O filme também já está filmado, mas ainda sem data certa de estreia, também um documentário foi encomendado e deve sair em breve.

Sobre o Autor

Guilherme Comim

Guilherme Comim

Uma mistura de gatos fofinhos, comidas, filmes e séries em uma pessoa só

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Será que a Elsa se assumiu lésbica cantando e ninguém percebeu?

Curiosidades de Euphoria, a série BAFOOOO da HBO.

Viajamos no verdadeiro trem do Harry Potter! Na vira real!!! Veja como foi a experiência neste vídeo.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER