Arrow 4×19 — Canary Cry

Canary Cry é mais que um episódio de despedida para Laurel.

Laurel Lance era a Canário Negro.” QUEEN, Oliver

Sim, o 19º episódio dessa temporada, foi mais que um episódio de despedida para a Canário Negro de Katie Cassid. Foi também um lembrete aos fãs de que os mortos não voltam mais, ao menos por enquanto, e que a decisão da produção da série foi definitiva e parte da culpa é dos próprios fãs da série.

Se você não percebeu os flashbacks desse episódio não eram apenas boas lembranças sobre Laurel. Numa análise mais profunda, quem se lembra da personagem no fim da primeira temporada? Pois é, os fãs detestavam Laurel, porque a personagem era chata mesmo e a produção pode ter usado as cenas do passado para relembrar o público de que talvez, se não tivesse havido tanto alvoroço sobre a Felicity, e sua perfeita parceria com o arqueiro, a série pudesse ter seguido os passos das HQ’s onde Dinah Laurel Lance é o par romântico de Oliver.

Ainda que seja tudo mania de perseguição, temos que elogiar os flashbacks de Canary Cry, pois eles além de bem encaixados entre o fim da primeira e o começo da segunda temporada. Também serviram como uma bela homenagem a personagem.

Não apenas isso, mas a cenas desse passado tão recente, também foram sobre Tommy, um personagem que se tornou muito querido no fim da primeira temporada e acabou morrendo. Aí talvez haja mais um lembrete aos fãs de que nem todos os mortos voltam a vida na série, ou que talvez a ideia agora seja retomar tudo o que o show tenha perdido durante as temporadas e voltar a ter um tom mais sombrio onde tudo pode acontecer. E qualquer um pode morrer.

Nos dias atuais o caso envolvendo Evelyn Sharp soou um tanto confuso e fora de contexto, mas trazer um personagem para encarnar a Canário Negro e tentar matar Ruvé Adams, fez sentido para amarrar todos os acontecimentos. Uma pena mesmo é a garota ter desistido de matar a esposa de Damien Darhk, pois sabemos bem que ela não teria a mesma piedade diante de algum membro do team Arrow.

Tudo ficou muito bem elaborado e organizado, mas mesmo com uma promessa de melhora para série, que vem sendo cumprida, em partes, durante toda essa temporada. Alguns temas ainda continuam sendo tratados de forma muito vanilla (como dizem os americanos). Uma grande falha da série é que os personagens constantemente são levados ao seu limite, mas eles sempre voltam.

Teria sido interessante ver Diggle cruzar a linha tão venerada pelos heróis menos fanfarrões, e ter matado Ruvé. Isso daria muito mais encorpo para o conflito final com Darhk, colocaria John numa espiral ainda mais complexa de culpa e até influenciaria ainda mais Oliver a ter a decisão radical de matar o grande vilão. Lembrando que neste episódio a continuação da cena no carro a personagem abraçou a ideia de assassinato.

Me apaixonei por você por várias razões, uma delas é que você sempre encontra um jeito. E você tem que encontrar um agora. Por Laurel, pela cidade, por todos nós.” SMOAK, Felicity

Uma parte do enredo que ficou corrida e merecia mais atenção, mas nem por isso deixou de ficar muito boa. Foi a busca de Quentin por uma forma de trazer a filha de volta. Nesse tipo de enredo, com um personagem secundário é normal que ele não se demore nos cinco estágios do luto, mesmo que em tempo recorde Lance não decepcionou, fazendo um cisco cair no nosso olho em quase todas as suas cenas.

Por fim parece certo afirmar que Felicity está de volta ao time. Ao menos até o fim dessa temporada. Honestamente o ideal seria manter ela e Oliver juntos e felizes para acabar de vez com o vai e volta do casal, os roteiristas já deveriam ter aprendido a lição de que esse tipo de coisa só gera crítica negativa para a série.

Canary Cry

Ainda que não seja uma produção de ouro da Netflix ou da HBO, Arrow tem muito potencial mesmo dentro dos padrões da TV aberta americana e do pequeno canal que é a CW. Com uma base de fãs fiéis e presentes só resta que os produtores se esforcem mais para abandonar os clichês forçados que vem depreciando o show.

E você, mesmo que contrariado, gostou da homenagem a Canário Negro? Conta pra gente nos comentários e de uma nota para Canary Cry no nosso placar. Antes confira a promo de Genesis que vai ao ar semana que vem.

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER