Demolidor da Marvel 2×11–38

Sabe aquele momento da série de parar o coração? Foi isso o que aconteceu em 38.

Sabe qual é o problema com os mártires? Os bons acabam mortos […] Essa não é mais a sua cidade. Admita Matt, isso está muito acima de você.” TEMPLE, Claire

A cena dos ninjas invadindo o hospital e levando as crianças não foi apenas uma espetacular cena de ação. Sem direito a trocadilho maldoso com o Homem Aranha, mas até o Demolidor que é cego e não solta teia pegou a amada em queda livre. Apenas apontando os fatos.

Brincadeiras à parte, essa cena também serve para convencer Matt mais ainda de que ele precisa se afastar das pessoas que ama. Pedir a ajuda de Claire fez com que ela quase morresse e esse é um fardo que nosso herói pretende evitar carregar a todo custo.

De qualquer forma o início de 38, marca o fim da relação entre a enfermeira e o vigilante, pois ela também se mostra extremamente cansada de lidar com qualquer coisa relacionada ao herói, pois sabe que suas ações podem levá-lo a morte e prefere se afastar disso.

As bizarrices a respeito dos soldados ninjas da organização The Hand não param,.dDpois do ataque, o ninja que Claire empurrou pela janela acaba no necrotério. Durante a avaliação do corpo, o responsável pelo hospital reage de forma estranha ao perceber que o corpo já passou por uma autópsia.

Essa informação casa diretamente com o fato de que a organização sombria tem grandes bolsos. E por isso podem controlar esse tipo de informação para que ela não caia nos ouvidos errados.

E não é apenas Claire que descredita Matt. Karen acaba se abrindo, ao mesmo tempo mentindo para ele, e ,com um último golpe de misericórdia, ela dispensa totalmente o amado, pois tem planos com Frank. Karen acredita que ele tem melhores chances de encontrar Blacksmith.

A relação entre Karen e o Justiceiro continua a se estreitar até o ponto em que ela se vê frente a frente com o resultado das ações dele. Essa ideia entre o que ela acredita ser justo e a repercussão desse tipo de ação, traça uma linha tênue na cabeça da moça, deixando-a completamente fora de centro.

As aventuras de Karen na série parecem não parar de mandá-la para a delegacia. O detetive Brett não parece perceber que a moça é figurinha garantida quando o problema é de grande escala, fica mais fácil manter ela lá, mas só ele não pensou nisso ainda.

Voltando ao relacionamento entre ela e o Justiceiro, temos que destacar aqui que Frank Castle é o melhor conselheiro amoroso de todos. Sim, se você quer que o seu casal favorito de certo em alguma série coloque o Justiceiro entre os personagens para dar conselhos. Por isso vamos destacar a máxima do personagem nesse episódio:

Pessoas que podem magoá-la, aquelas que realmente ferem, são aquelas que estão perto o bastante para fazê-lo. Pessoas que mexem conosco por dentro, nos rasgam ao meio e nos fazem pensar que nunca vamos nos recuperar. Merda! Eu cortaria meu braço aqui neste restaurante, só para sentir isso mais uma vez pela minha esposa. Minha mulher, ela não só quebrou meu coração, ela arrancou, estraçalhou, pisou naquela merda e deu para o cachorro. Ela era cruel, ela fez doer de verdade. Mas ela nunca me magoará novamente. Eu nunca mais vou sentir isso. Você está toda confusa sobre esse lance, mas você tem. Você tem tudo, então segure firme. Use as duas mãos e nunca solte”.

Depois que Frank Castle com a cara em todos os tons de roxo, diz isso para ela, o certo seria ter corrido para os braços de Matt, se não fosse pelo massacre que veio a seguir, e ela foi mais uma vez para delegacia.

Enquanto isso, o Demolidor vai de encontro à mais uma personagem que retorna das cinzas. Madame Gao volta à cena do tráfico de heroína, dando a entender que na realidade ela nunca partiu. Vamos combinar que nesse ponto está difícil para o Demolidor, tudo que ele pensava ter resolvido, na realidade nunca saiu do lugar. Assim não dá. Roteiristas, alguma coisa que o Demolidor fez na primeira temporada realmente funcionou?

38 acabou unindo o Justiceiro e o Demolidor, o que não acabou bem para nenhum dos dois. E o Blacksmith não deu as caras. Ao menos tivemos a oportunidade de ver os dois interagindo novamente, o que é sempre um prazer, já que a dinâmica entre os dois é brilhante, e em cena há um certo equilíbrio entre a parceria e o desentendimento mútuo. O número de corpos deixados para trás pelo Justiceiro aumenta novamente, o que não é mais uma novidade nessa temporada.

Elektra volta para se vingar de Stick. E essa é mais uma responsabilidade que o Demolidor terá que assumir. A relação entre treinar a assassina depois querer ela morta não faz muito sentido, nesse ponto, mas tudo leva ao mesmo caminho. The Hand continua aparecendo com cenas misteriosas sobre o conteúdo do sarcófago, mas nada é relativamente dito sobre o assunto.

Essa segunda temporada, assim como seu protagonista, parece querer equilibrar muitos temas simultaneamente, o que abre espaço para grandes erros, mas ainda estamos falando das mesmas pessoas que fizeram o primeiro ano, então há esperança que todas as peças se encaixem no final.

Conta pra gente o que você achou de 38 e não esqueça de dar uma nota para o episódio no nosso placar.

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!