Downton Abbey 6×03 — Episode Three

Downton Abbey traz a surpresa do retorno em um episódio simples e emocionante

Eu não vejo o futuro Mr. Carson. Mas suponho que nenhum de nós consegue ver”. BARROW, Thomas.

Caro leitor, se você não sentiu os olhos marejados pelas simples e emocionantes alegrias que este episódio proporcionou, senta aqui e vamos conversar.

Escrito pelo showrunner, Julian Fellowes, o Episódio 03, através de ações simples, trouxe inesperadas emoções, alegria, esperança e surpresas para a reta final de seus personagens.

A expectativa para o casamento entre Mr. Carson e Mrs. Hughe de fato era algo grande e muito aguardado pelos fãs, tanto que, muitos temiam que este plot se arrastasse ao longo da temporada, sendo concretizado mais próximo do seu finale. Ledo engano.

Downton Abbey 6x03

O roteiro, neste terceiro episódio, trata de acelerar as engrenagens narrativas e sabiamente, com a chegada do casamento de dois dos mais estimados empregados, foca ativamente nos personagens que serviram Downton por tantos anos.

Preciso chamar a atenção do leitor para o fato de, mesmo na reta final, o roteiro conseguir juntar a comicidade e a surpresa ao desenvolver um plot narrativo focado em Spratt. Este foco mostra a ousadia do showrunner em dedicar neste último ano momentos para todos que direta ou indiretamente habitaram os jardins de Downton.

Sempre usado como alivio cômico, Spratt também foi usado como elemento surpresa ao descobrirmos que ele tem uma família, amigos e uma narrativa toda que nunca foi explorada. Chega a ser um bônus a nós expectadores e uma crítica ao nos mostrar que por mais que ele não seja o foco das atenções, Spratt, como qualquer outra pessoa que está em um trabalho serviçal, também possui seus dilemas.

A direção de Philip John, veterano na série e responsável pelo Episódios Seis e Sete da temporada passada, está impecável. Ele consegue se reinventar e mostrar todo o seu poder de detalhes e pesquisa ao visualizarmos como as revistas feminina eram editadas na década de 20 sem um auxílio, óbvio, de editores e corretores de texto e photoshop. Bravo!

Enquanto isso analisamos que, influenciada pelo feminismo iniciado na década de 20, Lady Edith está deixando sua postura passiva e tomando as rédeas da situação ao demitir seu Editor Chefe e assumir sua revista, com a possibilidade um novo interesse amoroso. Esta postura de Edith não só a engrandece cada vez mais na série como traz à tona, junto com sua irmã, o empoderamento feminino.

Enquanto desenvolve aspectos positivos de alguns personagens, como Edith, por exemplo, e Thomas que deixa bem claro que seus interesses em Andy são fraternos, o roteiro nos força a lembrar — e de maneira nenhuma isso é negativo — que nossos personagens não são maniqueístas, ao trazer um lado de ações questionáveis de Lady Mary, Cora e Violet. Ao mostrar estas personagens, por exemplo, questionando a decisão de Mrs. Hughs em se casar na escola, como Mary, ou o repreendimento de Cora pelas criadas mexerem em suas roupas e Violet em sua batalha em manter o hospital por orgulho e tradição.

Assim o roteiro se mostra promissor na ascensão dos funcionários quando temos não só Lady Mary mas Cora também se desculpando com Mrs.Hughes, e ao mesmo tempo, novamente, coloca todos os personagens em status de igualdade no brunch de casamento realizado na escola.

Devemos destacar como o casamento foi executado de forma tão simples e emocional nas excelentes atuações de Jim Carter, todo nervoso, tentando decorar seus votos matrimoniais e Phyllis Logan mostrando toda sua ansiedade em sorrisos involuntários quando Mr. Patmore, Anna e Baxter chegam para arrumar a noiva.

O roteiro ainda consegue nos surpreender neste cálido momento com a volta de Tom aos campos de Downton, que nos levam aos suspiros com momentos tão meigos como as crianças se abraçando.

Conde Fellowes e sua equipe parecem empenhados ao máximo na reta final para nos entregar momentos memoráveis que fazem valer toda a jornada que tivemos até aqui. Afinal, como não torcer para um final feliz, seja pelos personagens, seja para nós mesmos?

E você leitor, o que achou deste episódio? Não esqueça de deixar seus comentários e sua nota para o episódio abaixo.

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER