E agora, Vikings?

Hail, Ragnar Lothbrok! Aproveite Valhalla, pois você merece!

Esse texto contem spoilers. Se você não assistiu ao episódio 16 da 4ª temporada, não perca tempo, assista e volte logo após.

Uma boa série se constrói ao redor de seu/sua protagonista e Vikings teve um excelente até esta temporada. A energia de Ragnar Lothbrok fez com que, não somente o povo viking, mas também o público, embarcasse junto de seu sonho explorador. Durante 4 temporadas, torcemos por suas vitórias, ficamos chocados com algumas de suas atitudes e vimos os demais personagens ao seu redor crescerem.

Sabendo que ele foi um personagem histórico, seu destino não era mistério. Bastava uma pesquisa rápida no Google para sabermos que ele acabaria exatamente da forma como foi mostrada. Porém, enquanto público sempre pensávamos que talvez fosse cedo demais para que o “grande Ragnar Lothbrok” fosse jogado dentro de um poço cheio de serpentes.

Mesclando fantasia e realidade os produtores da série não temeram arriscar a perda de um protagonista para que o público entendesse que Vikings não é uma série sobre Ragnar, e sim é uma historia sobre o povo viking.

Sendo coerente na construção dos roteiros vimos a ascensão de Ragnar a um rei que ele não estava preparado para ser. Sim, ele foi um exímio explorador, conquistador, mas não um bom governante. O Ragnar Lothbrok que o Travis Fimmel interpretou foi um homem curioso, apaixonado em todas as suas ações, para com sua família, com seus barcos, seus amigos, sua religião (ou a falta dela). E sabemos que um governante próspero deve saber controlar suas paixões.

Por isso sua queda foi coerente. Ao não saber lidar com a derrota no campo de batalha e fugir das responsabilidades de governante, sua decadência se acentuou (tanto em sua reputação junto ao seu povo, quanto em sua aparência física) e só lhe restava buscar a glória, uma paixão que alimentava seu ego, na certeza de que sua memória permaneceria e que seus filhos iriam honrar seu nome.

Se Ragnar havia perdido a fé em seus deuses, o roteiro não deu certeza, mas deixou claro que os deuses mantiveram sua fé nele. Pois, segundo o próprio criador da série Michael Hirst, Odin em pessoa foi o portador da notícia de sua morte.

O bastão foi passado de forma natural para os demais personagens. Agora, não sabemos se haverá um grande protagonista na história. Todos os personagens estão nos lugares onde devem estar para que a roda continue girando.

Por mais que se possa questionar a forma como Lagertha chegou ao trono de Kattegat, voltando atrás podemos perceber pequenas pistas de que ela não havia superado completamente a perda de seu posto ao lado do rei. Rollo voltou ao que saber fazer melhor, ser viking. Floki parece estar alcançando uma sabedoria que mudará sua visão de mundo. E quanto aos filhos de Ragnar, o desejo de vingança irá uni-los, já a luta pelo poder poderá separá-los. Ou seja, há muita história para ser contada ainda.

Enquanto o episódio 15 (All his angels) teve o ar melancólico que é exigido em uma despedida, o seguinte (Crossings) veio recheado de uma força impulsionadora, tanto pela notícia da morte de Ragnar, quanto pela ameaça que Ivar pode se tornar. Houve também o encontro dos vikings com uma nova cultura (a mulçumana) que nos remete ao início da série, quando Ragnar depara-se pela primeira vez com os cristãos.

E se as palavras finais de Ragnar pareceram jogadas para um público que não as entendia momentos antes de sua morte, o roteiro acertou em repetir o discurso. A voz do grande conquistador pareceu encher o mundo viking ecoando nos lugares ao qual pertence.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Por essa a Ru Paul não esperava. Analisamos os piores looks da Mamma Ru, como bons guest judges.

Visitamos a Casa Warner com o tema Friends e mostramos tudo nesse vídeo.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER