House MD (S06E20) — Everybody Lies [RA]

Por Erika Ribeiro

Em Everybody Lies é o penúltimo episódio dessa temporada de House e foi um dos poucos que vi nessa temporada. Todos sabem como me irrita não ter a Cameron na série e vi esse episódio justamente porque ela está de volta. Além da participação da excelente Betty White, como uma atriz de musicais da década de 50, que diz ter conhecido Marilyn Monroe. Contudo, quando soube que o episódio seria musical isso me deu mais calafrios do que quando anunciaram isso em Fringe, mas vamos lá.

Tudo começa quando Cuddy recebe um pedido de um Centro médico que possuim um caso sem diagnostico há 2 anos e que agora se agravou. Apesar, das chateações de House que só aceita o caso depois de Cuddy lhe fazer um favor, a paciente chega ao hospital, acompanhada de uma médica, que é Cameron. A princípio ela não parece se importar com o constrangimento que causa a todos e os trata friamente.

Ginger Smith (Betty White) é a paciente que apesar de suas idas e vindas durante as crises não perde o bom humor em momento algum e sempre está disposta a contar suas histórias, todas em forma de musicais dos anos 50.

Foi legal e ao mesmo tempo estranho ver todos juntos novamente, mesmo com Cameron aparecendo pouco, por se recusar a trabalhar com House, ela está bem mais decidida e é engraçado ver como Chase se sente intimidado por ela.

Toda a dinâmica do episódio fica diferente quando Ginger começa a contar suas histórias para alguns dos médicos que cuidam dela. Taub, Chase, Thirteen e House são as “vítimas” da atriz. O mais engraçado foi ver como ela contava a história dela, mas para nós as pessoas que eram citadas por ela apareciam como o pessoal do Hospital.

Logo de cara ela já conta uma história para Taub, que vive o 1º ex-marido dela, um mulherengo que se dizia amigo de Frank Sinatra e que no fim depois de ter várias mulheres acabou sozinho, foi engraçado ver Taub cantando e cheio de mulheres a volta dele e as perdendo, uma a uma, para os médicos da equipe e por fim perdendo a última para… Thirteen, que era na verdade para Ginger. A cara dele foi impagável. Enquanto, isso Cameron diz a Cuddy que só voltou por imposição do Hospital que a designará por já ter trabalhado com eles. A administradora diz à médica que todos a tratarão bem e que gostam dela. O que parece não comover Cameron que responde friamente que não se importa e só quer descobrir diagnostico e sair fora dali o mais rápido possível. Cuddy fica assustada com a frieza da ex-amiga de trabalho.

Enquanto isso, Chase faz parte da musica mais chata e curta (ainda bem) em que conhecemos um dos amigos do marido da paciente, que aparentemente gostava de se meter em histórias fadadas ao fracasso e no fim deixam um gancho de que ele está interessado nela Ginger (Thirteen). Essa música foi a que me deu o estalo de que na verdade ela falava sobre eles. No entanto, como ela saberia tanto da vida do pessoal do hospital? Isso me deixava intrigada.
A música da Thirteen foi para mim a melhor, já que Ginger era interpretada por ela em suas lembranças, acho que ela foi esperta, pegou logo a mais bonita para ser ela, a única ali com cara de amiga da Marilyn. E quando revi o episódio tive certeza disso, pois ela disse ao chegar o hospital como Thirteen era bonita.

Mas voltando a história, toda ela se passa em um clima noir e, conta como foi o grande amor da vida de Ginger, um rapaz 25 anos mais novo, que depois de muito insistir a convenceu de casar com ele, mesmo sabendo que ela morreria antes dele por causa da idade. Logo após o dia feliz ele saiu para comprar flores e morreu atropelado. Para mim, ai ficou óbvio que ela falava para Thirteen diretamente. A história toda era sobre como não se comanda o destino, ela pode morrer, mas todos nós podemos e quem disse que ela já não morreu por não viver plenamente? Ginger demorou tanto a aceitar o pedido que quando aceitou ele morreu logo depois. O medo de Remy (esse é o nome da 13, alguém ainda lembra???) em aceitar que a vida dela não é boa, como ela gosta de dizer e que na verdade ela é uma solitária com medo. Ela tinha medo de se envolver e não poder viver, medo de sofrer, medo de cada dia ser um pouco mais tarde para encontrar alguém que ela ame de verdade. Triste mesmo, a gente esquece como é difícil ser a Thirteen, mesmo sendo linda, ela ta frita, coitada.

O momento é interrompido, pois Ginger quase morre e todos se mobilizam para tentar salvá-la, até House se preocupa. Quando o Chefe vê que ela está muito debilitada, manda todos irem para casa, sob o pretexto de que precisa deles 100% no outro dia para conseguirem as respostas para o caso. Todos vão embora, mas ele não.
House fica sentado, no quarto de Ginger e quando ela acorda, ele faz uma de suas piadas sobre “Como foi ensinar Betsabá a dançar?” E ela responde que não fala nada da vida dela AC (antes de Cristo).

É então que a velha atriz aproveita o momento e conta para ela a história feliz de um dos seus maridos, esse de longe o mais galanteador e divertido e o único a dançar e não cantar. O choque no final da música foi sensacional, todos esperávamos que fosse a Thirteen, afinal era ela sempre, mas dessa vez quando House vira e fala com sua parceira, ela é Cameron.

Quando House que olhava a janela se vira para Ginger ela está de olhos fechados, inconsciente, ele fica abalado e segura a mão da paciente, enquanto isso Cameron o vê de longe.

Nessa hora toca a musiquinha do dia, sempre tem, né? Achei excessivo, já que era um episódio musical, mas… Todos aparecem fazendo algo: Thirteen está no bar e lhe oferecem uma bebida ela sorri para a mulher mas pensa bem e sai, andando pela rua nevada. Já Chase está em casa na internet, procurando lugares para férias. Taub fala com a mulher e ela chora, ele tenta consolá-la, mas toma um tapa no rosto e ela o deixa sozinho na sala de casa. Sempre neva nessas horas, ou chove, e sempre funciona, a gente se emociona, mesmo sendo clichê.

Voltamos para o hospital e vemos House olhando para sua caneca, provavelmente cheia de bebida que passarinho não bebe. Quando de repente uma batida na porta, é Cameron, que após ter se recusado a falar com ele desde que voltará aparece. Ela se senta a frente dele e diz que não foi embora por causa de Dibala, Chase, nem por ele, mas por ela. Ela estava se tornando como ele, ela admite que tentou fazê-lo como ela e acabou se tornando cada dia mais como ele. Diz também que não voltou obrigada, que pediu para voltar porque se importava com Ginger Smith, pois ela lhe fizera parar de mentir e assumir que ela era a Cameron de sempre e não tinha deixado de amá-lo. A única diferença agora segundo ela é que ela percebeu que ele também não havia deixado de ser quem ele era e nunca deixaria de ser. Depois de pegar na mão de House ela deixa claro que voltou também para dar um ponto final, não para ela e Chase, mas para eles dois e avisa que nunca mais vai voltar. Ela diz: “eu dizia para mim mesma que você podia mudar, mas como você mesmo diz todo mundo mente”.

Ela sorri e vai embora, deixando House parado ali. Enquanto ela se afasta Cuddy entra na sala e dizendo que ele tinha razão, que seria um gasto inútil tentar salvar uma pessoa tão idosa e sem diagnostico a tanto tempo. E House apenas de levanta e sai da sala deixando Cuddy sozinha.

REVIEW:

O episódio para mim foi digno de Emmy, apesar de aparecer pouco Betty foi fundamental, seu carisma e simpatia, fizeram o episódio ser o que ele foi. Ela deu um ar leve a questões profundas dos personagens e expôs as feridas novamente de maneira clara. Foi um dos episódios mais sensíveis de House e que de verdade me fez chorar, principalmente quando ela morreu. Ninguém queria deixá-la morrer por que ela trazia a eles algo que haviam esquecido a chance de aceitar a si mesmo e apenas viver. Foi totalmente o oposto do episódio de Dibala, os sentimentos foram unânimes de que ela tinha de viver e tinha de aproveitar a vida, mesmo o pouco que lhe restava e como isso mexeu com 13 e seu medo de não aproveitar tudo, deTaub em se separar da mulher de uma vez, de Chase em saber que a escolha foi dele ao tentar algo com Cameron e que a culpa foi dele e de mais ninguém e de House e Cameron que finalmente acabaram de vez com as esperanças dos fãs do casal, mas abriu uma chance verdadeira de House mudar. Acho que vou dar mais uma chance a House e voltar a ver a série.

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

The Handmaid's Tale voltou!!! O que rola de novo nesta temporada? Descubra mas SEM SPOILER!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!