Humans 1×06 — Episode 6

A importância de se (re)descobrir como humano é a cerne desse episódio de Humans

Se eu morrer significa que eu vivi” — MAX

O que nos faz humanos? Essa é uma das questões que permeiam discussões existencialistas. Descobrir o que nos distingue dos outros animais e sermos capazes de não nos enxergar como superiores, mas especiais.

Humans tem sido extremamente feliz nessa abordagem e entrega um excelente episódio a cada semana. Como foi o caso dessa semana, com destaque para todo o elenco que oferece atuações convincentes e emocionantes.

Finalmente, Mia consegue subir à tona e assume o controle deixando Anita de lado. É um dos pontos altos do episódio. Afinal, finalmente, descobre-se quem ela é de fato e lança luz sobre as criações de David Elster.

Humans

Saber que todos os sintéticos pensantes foram criados para suprir a falta emocional da esposa, acometida por uma grave enfermidade, e para cuidarem de Leo, ajuda a entender porque o filho do cientista encara a todos como uma grande família.

Triste pensar que as máquinas surgiram para substituir a afetividade humana. Mas, não é exatamente isso que acontece? Pessoas trocando relações humanas físicas para se relacionarem com uma máquina, como essa que você está usando para ler essa review?

Laura revela quem é Tom e a história é ainda mais triste do que se imaginava. Serviu tanto para reconciliar mãe e filha como trazer Mia de volta.

Pete também é inserido nessa discussão de maneira ainda mais cruel. Primeiro precisa socorrer sua mulher que ativou a função sexual de Simon, o sintético doméstico. Depois, acaba transando com Karen e descobrindo que ela também é um robô. Para um homem que sempre odiou sintéticos, os dois contatos que teve no episódio foram bem traumatizantes.

Sobre Karen, revelar para o companheiro que é um robô parece não ter sido a melhor das ideias. Ela deve ter algum plano maior envolvendo sua busca pelas criações pensantes de Elster. Porém, surge a pergunta: se ela também é uma pensante, será que foi uma criação de Elster também?

Niska continua convivendo com o Dr. Millican e busca no aposentado informações sobre seu criador. A volta de Odi serve para evidenciar ainda mais essa dependência emocional que o homem desenvolveu pelas máquinas.

Era óbvio que Robert não iria destruir uma máquina tão brilhante como Fred. Mas também acreditar que ele tinha a melhor das intenções para a criação de Elster é um pouco demais. Ele pretende reunir todos os sintéticos e entender como funciona todo o complexo sistema elaborado por Elster. E, ao que tudo indica, não medirá esforços para tal.

No entanto, o grande destaque do episódio foi mesmo Max. Desde suas pequenas observações sobre a dor humana, passando ao lindo diálogo que ele mantém com Mattie e culminando em sua decisão final de se sacrificar para proteger Leo. Emocionante ao extremo. Foi necessária uma máquina para perceber a beleza da humanidade. É capaz que ele não morra de fato e ainda retorne para a temporada.

Com apenas dois episódios para encerrar a temporada, Humans consegue atingir uma ótima qualidade narrativa. Pena que as pessoas ainda não se ligaram nessa excelente série. Fica a expectativa de uma renovação e que mais espectadores descubram essa pérola.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER