Jane the Virgin 3×01 — Chapter Forty-Five

Com uma nova proposta e grande atuação de Gina Rodriguez, Jane the Virgin retorna com eficiência para a terceira temporada com o Chapter Forty-Five.

Não direi adeus porque esse não é o fim da nossa história. Está me ouvindo, Michael? Você vai acordar e vai ficar bem. — VILLANUEVA, Jane

Jane the Virgin sempre pôde ser considerada inovadora. Desde o começo da primeira temporada e durante o percurso, ela foi sendo caracterizada por alguns requintes de ousadia também. É muito fácil dizer que tudo pode acontecer e que muitas situações cômicas e absurdas já passaram diante dos nossos olhos assistindo a essa série.

Mas sempre tem espaço para novas mudanças.

Chapter Forty-Five é tudo aquilo que Jane the Virgin ainda não tinha mostrado. Diante de dramas em níveis que não estávamos acostumados, o episódio quase deixou a série irreconhecível. Nem mesmo os poucos alívios cômicos trouxeram tanto alívio assim. E isso não necessariamente é um ponto negativo.

Foi um episódio eficiente? Foi. Talvez até demais, mas vou justificar isso mais para frente.

Jane e Michael mereciam ter suas histórias recontadas e os flashbacks chegaram a ser surpreendentes. Durante tanto tempo, ficamos acostumados com aquela imagem dos dois se conhecendo na festa de 21 anos da protagonista. Aquela noite em que eles se beijam pela primeira vez com direito a “neve” caindo do teto sobre os dois. Mas quem iria imaginar que Jane sempre esteve predestinada aos triângulos amorosos? E mais, quem iria imaginar que Michael seria sobrevivente por duas vezes?

Não foi diferente no presente. Porém, dessa vez a terceira batalha era pela vida. E Jane já tinha todas as provas de que o marido dela é desses que sempre vai lutar.

Com certeza não foi fácil ter que fazer uma escolha que seria decisiva para o futuro do detetive. Além de todos os turbilhões que passavam pela cabeça da protagonista, a mãe do rapaz ainda insistia em não colaborar. Mas como foi mostrado no começo de Chapter Forty-Five, desde criança Jane sabia melhor que ninguém como um romance deve terminar. Foi então que, antes de Michael ser levado para cirurgia, ela roteirizou o futuro dos dois em uma cena com flashforwards bem tocantes. Felizmente, eles tiveram direito a final feliz.

A mesma coisa não pode ser dita sobre o frango congelado Petra. Como se não bastasse a trama principal, o enredo da moça foi igualmente agoniante. Para piorar, Rafael e a polícia não estão ajudando. Se pelo menos aqueles dois policiais acham as atitudes de Anezka estranhas, por que raios não investigam ao invés de ficar apenas na suspeita? É fato que isso pode ser feito mais para frente, mas é inegável que está sendo uma tortura ver a nossa ex-vilã favorita sofrendo nas mãos da irmã-gêmea.

Enfim. Tecnicamente falando, talvez algumas coisas tenham sido apressadas demais. Michael já está completamente salvo. Rogelio já sabe que Xiomara está grávida de seu arquirrival e inusitadamente está tranquilo quanto a isso (como assim nem deu tempo de ele ter uns ataques?). Não que ele deveria se meter muito, a decisão de não opinar no aborto alheio foi acertada. Sem falar na história maluca de trocar urina por privacidade que soou um tanto aleatória por enquanto.

Estranha também foi a escolha de inserir um pó branco na cena do crime para logo associarem ao tráfico e que já levaria a Sin Rostro. Mais estranho ainda é descobrir que o pó não é cocaína, e sim migalhas de donuts. Migalhas essas que fizeram Rafael nem pestanejar ao lembrar de Rose. Parece que a série simplesmente pegou um elemento aleatório que apareceu por segundos na temporada passada com a finalidade de inserir a traficante nesta atual. Poderia ter sido mais sutil, mas de qualquer forma vai ser bom ver como Luisa e Rose vão reagir a essa nova realidade dentro de nada mais, nada menos que um submarino.

E já deixo registrado aqui meu pedido pessoal para Rose deixar de ser tão sociopata para que eu possa continuar shippando ela e Luisa. Obrigada, de nada.

Provavelmente toda essa correria seja um sinal de que essa temporada não veio para brincadeira e que tem muito mais água para rolar além das lágrimas de Jane. Por sinal, que grande entrega fez a proprietária da CW também conhecida como Gina Rodriguez. Talento e timing ela tem de sobra para se dividir entre comédia e drama. Resta saber se a série em si vai se adaptar bem a esse segundo e novo estilo.

E você, matou a saudade de Jane the Virgin? Então coloque no placar abaixo as estrelinhas que você acha que o Chapter Forty-Five merece e fique à vontade para comentar também. E não se esqueça de dar aquela olhadinha básica na promo do próximo episódio!

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

A Fazenda voltou e o que esperamos? Memes! Mas será que os novos memes superam estes??? Clique e assista agora.

Será que você sobreviveria em American Horror Story 1984? Assista ao vídeo e prepare-se para a nova temporada.

Curiosidades de Euphoria, a série BAFOOOO da HBO.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER