Jane the Virgin 3×02 — Chapter Forty-Six

Personagens lidam com trauma e tentam estabelecer rotinas no Chapter Forty-Six.

Diga adeus a Jane the Virgin!” — NARRADOR

Jane the Virgin (série e personagem) ainda estão se arrumando e catando os cacos depois do impacto de quase perder Michael. Pode ser que a série ainda não tenha dado sinais de recuperação plena, mas Chapter Forty-Six foi mais um passo a frente para isso.

No entanto, é bom nos acostumarmos com essa rotina de pesadelos e traumas. A terceira temporada veio para ser diferente das duas primeiras e isso é algo que requer aceitação. A protagonista, querendo ou não, é quem mais será afetada com essas alterações de identidade.

Aquela Jane metódica — que anota todas as etapas do exercício de fisioterapia de Michael — ainda está lá. Mas também está aquela que briga e reclama como vimos poucas vezes; aquela que tem um novo drama na vida chamado “meu marido quer voltar ao trabalho que quase tirou a vida dele” e que daria um tema de Casos de Família.

Bem, mas a vida dela não é só isso. Ou melhor, a rotina não era só isso. Então, é melhor tentar voltar a ela, certo? Certo.

É aí que Chapter Forty-Six acerta ao traçar um paralelo entre Mateo e Michael. O detetive por enquanto é mais um “filho” aos cuidados de Jane, como ele próprio diz ao chamar a esposa de mãe em um momento um pouco constrangedor.

Enfim, enquanto o detetive precisa se preocupar apenas com a recuperação dele, Mateo precisa de uma escolinha e obviamente não é ele quem vai resolver isso sozinho. Para isso existe Rafael na divisão de tarefa com Jane. Mas quem disse que seria fácil?

O moço afirma que superou o amor que sentia pela protagonista e a gente finge que acredita isso o impulsiona a questionar algumas escolhas feitas por Jane. E ele está mais que certo, é claro. Afinal, ele é pai e tem que pensar conjuntamente em prol do futuro do filho.

Supondo que ele realmente falou a verdade sobre esquecer a amada, essa relação de amizade dos dois tem tudo para ser saudável e bonita. Tanto é que já começou a render coisas boas, pois aquela escolinha do Mateo é tão legal que até eu fiquei com inveja.

Rafael e Jane não foram os únicos que andaram se estranhando de início. Xiomara e Alba também proporcionaram uma boa discussão. Era óbvio que a decisão de abortar de Xo iria trazer conflitos com a mãe. Não vamos julgar a abuela, uma mulher já de certa idade e que, desde sempre, tem princípios muito religiosos. Mas não há dúvidas que foi um debate interessante e muito bem roteirizado durante o episódio.

Jane the Virgin conseguiu perfeitamente falar sobre o aborto, dizendo tudo o que devia ser dito, sem restrições. E no fim, o melhor foi ver as mulheres Villanueva selando as pazes e arrancando um papel de parede de gosto muito duvidoso.

Outro assunto importante também foi abordado com Rogelio. Enquanto tenta solidificar a carreira nos Estados Unidos trabalhando arduamente no sotaque americano, ele continua sendo o Rogelio de sempre nas telenovelas mexicanas.

O mais interessante é que em um desses papéis, o personagem discursa sobre uma questão bem atual que é a imigração. Nada melhor que uma série com um elenco cheio de latino-americanos tocando nesse assunto relevante. #ForaTrump #RogelioPresidente

Aliás, uma pequena referência: a lua de mel de Jane e Michael era para ser em Porto Rico. Quem conhece um pouco mais a história de Gina Rodriguez, sabe que a atriz é americana e de ascendência porto-riquenha. Com certeza a escolha do local não foi aleatória no roteiro.

O enredo de Petra continua um drama sem fim e vem ganhando novos contornos para também atingir Rafael no bolso. Não estou lembrada se Scott alguma vez deu motivos para desconfiarmos dele, mas de qualquer forma ele sempre foi muito suspeito e era questão de tempo até ele tramar alguma coisa.

Agora, sendo aliado de Anezka, vamos ver até onde vai o plano de extorquir o dono do hotel Marbella. Sem esquecer, é claro, que o mais importante de tudo é que Petra seja salva o mais rápido possível. De preferência, que ela volte com sangue nos olhos para acabar com essa palhaçada toda.

Por fim, eu não poderia terminar esta crítica sem mencionar que NO PRÓXIMO EPISÓDIO TEM! Se não formos trolados pelas reviravoltas doidas dessa série, vai ser a hora de Jane dar a florzinha!!!

Brincadeiras à parte, acredito ser um bom momento para dizer algumas coisas sobre isso. Óbvio que a perda da virgindade vai ser um marco muito grande para a série. Principalmente para a protagonista, já com 25 anos (como essas crianças crescem rápido, não é mesmo?).

No entanto, é bom destacar que isso vai acontecer no momento que ela julga o certo, ideal e que ela merece depois de tanto tempo de indecisão. Então, acredito que não há motivos para falar que já era sem tempo ou que deveria ter feito antes. Se você concorda ou não, pode dizer aí embaixo nos comentários.

Esse foi Chapter Forty-Six, mais conhecido como fim de uma era para os íntimos. No quadro abaixo você pode deixar suas estrelinhas para o episódio e também não deixe de conferir a promo do Chapter Forty-Seven.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

A Fazenda voltou e o que esperamos? Memes! Mas será que os novos memes superam estes??? Clique e assista agora.

Será que você sobreviveria em American Horror Story 1984? Assista ao vídeo e prepare-se para a nova temporada.

Curiosidades de Euphoria, a série BAFOOOO da HBO.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER