O desequilibrado Esquadrão Suicida

Esquadrão Suicida é tudo que foi prometido. Tem ação, é divertido, com alguns momentos sombrios e de motivação, uma mistura interessante de anti-heróis.

Morrer é fácil, você viveria por mim?’’ Coringa

Para conseguir se defender de ameaças de meta-humanos o governo dos Estados unidos decide aceitar o time nada perfeito da recrutadora Amanda Waller (Viola fucking Davis), que junta todos os piores inimigos do Estado já presos.

Amanda Waller conta com a ajuda do Capitão Rick Flag (Joel Kinnaman) para juntar todos do grupo. Ele tem sua motivação pessoal como todos os outros integrantes do esquadrão, que é proteger sua amada a Dra. June Moone (Cara Delevingne), uma meta-humana que não tem controle sobre seu próprio poder, se transformando na antiga feiticeira Magia.

Como um filme inicial do time de anti-heróis, ele trabalha bem a introdução de todos os seus principais componentes, mostrando como seu caminho foi traçado para estar lá.

O Pistoleiro, interpretado por Will Smith, é uma espécie de líder do grupo de detentos. Por estar mais preocupado com a redução da sua pena, é o que mostra mais humanidade e sanidade do grupo. Um personagem que toma um espaço bem maior do que sempre foi destinado a ele na sua história de origem, Batman.

A desequilibrada Harlequina (Margot Robbie) faz o contraponto do humor, do sarcasmo e da despreocupação do grupo. Mesmo mostrando a sua origem pesada de abuso psicológico que a transformou em peão do Coringa (Jared Leto), sendo toda desajustada a lá Joker, ela mostra que o caos é uma diversão para ela, levando a sua personagem a ser o escape de descontração do filme.

Harley Quinn

Bumerangue (Jai Courtney), Diablo (Jay Hernandez), Katana (Karen Fukuhara), Amarra (Adam Beach) e Crocodilo (Adewale Akinnuoye-Agbaje) — que deixa qualquer um que tem tripofobia (medo de buracos) todo arrepiado — completam o time nada comum de salvadores. Em outras adaptações e formatos tiveram, mais destaque do que o personagem do pistoleiro por exemplo, deixando claro que os autores decidiram aumentar e diminuir a importância de alguns personagens.

Mesmo a ideia de o filme ser a de apresentar vilões ajudando o bem comum, a maldade deles fica bem apagada, faltando dar ao telespectador aquela bipolaridade de sentimentos, o amor e ódio que deveriam ser mais explorados no desenvolvimento dos vilões em transgressão.

Dois famosos personagens fazem parte do filme, mas sem roubar a cena do esquadrão. O Batman (Ben Afleck) e o Coringa acabam aparecendo em pontos cruciais e já conhecidos da história. Já podemos ter uma noção de como será o coringa de Jared Leto, uma loucura incrivelmente única, que nos dá vontade e medo de passar um pouco mais de tempo com ele.

O Flash (Ezra Miller) aparece como o seu personagem, bem rapidinho em um flashback.

O filme foi em um crescente de ação, sem barrigas, fazendo o longa passar bem rápido e sempre acelerando mais os embates, mas sem aquele quebra-quebra sem sentido, tudo bem amarrado dentro da história.

A trilha sonora foi impecável, variando do rap ao rock clássico, fazendo parte dos movimentos e mudanças de clima do filme.

Os arcos inicialmente abertos no filme são fechados. E naturalmente deixando brechas para a sua continuação na linha do tempo que se passam, no mesmo universo de Gotham.

Não podemos comparar o filme com a HQ, são linguagens totalmente diferentes, uma deriva da outra, mas já sabemos que essa comparação é um pouco difícil.

Esquadrão Suicida é tudo que promete, é um filme de ação, divertido, com alguns momentos sombrios e de motivação, uma mistura interessante de anti-heróis. Com certeza será bem popular, pois o filme acerta na dose de entretenimento para quem é fã das sagas de super-heróis e para quem não é muito ligado nesse universo todo.

Com roteiro e direção de Ayer e baseado nos personagens da DC Comics, é produzido por Charles Roven e Richard Suckle e produção executiva de Zack Snyder, Deborah Snyder, Colin Wilson e Geoff Johns.

O Esquadrão Suicida vem como parte do retorno da Liga da Justiça e sua estreia mundial é dia 4 de agosto.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!