O mundo pós apocalíptico de Convergente

Convergente estica a história de um livro para encher duas produções, e entrega um filme de ação estrelado por co-protagonistas.

Todos merecem ser salvos.” PRIOR, Tris

Depois de assistir Insurgente, ficou claro para os fãs da trilogia de Veronica Roth que Convergente seguiria em um caminho diferente do livro e, apesar de todas as mudanças, a ideia central da história ainda está presente.

A caminhada para além do muro que finaliza o filme anterior é interrompida por Evelyn (Naomi Watts), que quer manter todo mundo sob seu controle, e as coisas tomam um rumo violento quando ela resolve executar todos que estavam envolvidos com Jeanine (Kate Winslet) para o domínio da cidade mais disputada do mundo pós apocalíptico.

Obviamente Tris (Shailene Woodley) e Quatro (Theo James) não iam ficar esperando, e logo montam sua própria missão para descobrir o que tinha além do muro. E como no livro, Tori acaba não conseguindo seguir a viagem. O que eles encontram lá é uma terra completamente devastada pela radioatividade, com crítica ambiental chuva vermelha e tudo. Logo Tris está sendo tratada como a última bolacha do pacote ou a primeira, no caso, e ignora todas as tentativas de Quatro de avisar que tinha alguma coisa estranha nessa galera.

convergente-filme

Shailene Woodley dessa vez interpreta uma Tris que se deixa levar pelos encantos do Centro de Genética, e acaba ficando apagada até que resolver entregar o que fez de melhor na saga até o momento: lutar. Ela nos passa um misto de desconfiança e confusão na maior parte do tempo, e quem brilhou dessa vez foi Theo James não que ele precise fazer mais do que existir para bilhar, já que Quatro continua a não confiar em ninguém, e isso se provou crucial para a sobrevivência de todos.

Caleb (Ansel Elgort) e Peter (Milles Teller) tem participações pouco significativas — Peter mais uma vez falhando ao tentar ser um vilão, e Caleb tentando recuperar a confiança da irmã — enquanto Christina (Zoe Kravitz) fica completamente apagada.

A trama toda é uma dança entre Quatro, David (Jeff Daniels) e Evelyn, que ganha muito mais destaque no longa, com um roteiro bem construído para conseguir mostrar a visão de todos sem prejudicar nenhum lado da história, incluindo momentos em que passado recente e presente se encontram.

convergente

O diretor Robert Schwentke deixa a desejar em alguns pontos em que poderia ter conduzido melhor sua protagonista, que parece estar em um transe profundo em todo o miolo da história.

Para quem leu os livros, a primeira parte de Convergente parece ser uma grande tentativa de esticar a história para encher duas produções. Toda a responsabilidade sobre o soro que apaga memórias acaba ficando com Evelyn, e o mais surpreendente é que ele começa a ser lançado na atmosfera antes de Tris conseguir impedir que isso aconteça. E no meio de tudo Marcus Eaton perde a memória, e toda a trama na qual ele estava envolvido no livro perde o sentido.

Outra diferença é a história da guerra genética: no livro Tris é a primeira a ter DNA puro, enquanto no filme todos no Centro de Genética também são puros, o que deixa toda a temática puros x danificados mais dramática.

No geral, Convergente entrega um enredo interessante para quem não leu os livros, e consegue abstrair suficientemente os fãs da trilogia para que seja enxergado como uma produção à parte, por isso é um bom filme para conferir se curtiu os dois primeiros, mas fica aquela impressão de que poderia sim ser melhor. Para a segunda parte, ficou a briga entre Chicago e o Centro de Genética, ou os puros contra os danificados, que vai conseguir unir todas as facções contra um inimigo em comum, e se os roteiristas forem bons conosco, não sofreremos aquela perda significativa no final. Oremos.

Confira o trailer:

Convergente estreia nos cinemas brasileiros dia 10 de março, 1 semana antes da sua estreia nos Estados Unidos.

Conta pra gente nos comentários o que achou, e não esqueça de dar sua nota 😉

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER