O Simpático A Era do Gelo: O Big Bang

Mesmo apresentando desgaste em sua história, A Era do Gelo: O Big Bang consegue se sair melhor que seus dois últimos filmes.

Quando o primeiro filme dessa franquia foi lançado lá em 2002, nem a Fox e muito menos a Blue Sky imaginariam que passados mais de 10 anos, essa seria uma das franquias mais lucrativas e bem sucedida do estúdio. Entre idas e vindas, a partir dessa semana podemos conferir a mais nova aventura dessa turma.

Manny, Ellie, Diego, Shira, Amora e Sid terão que deixar seus lares, logo após uma chuva de meteoros atingir a Terra, fruto de mais uma atrapalhada ação de Scrat, que dessa vez causa uma catástrofe cósmica, onde a vida na Terra corre sério risco de extinção, ou seja, ele está prestes a causar um novo Big Bang.

O roteirista, Yoni Brenner, responsável pelos roteiros dos longas anteriores mantém a mesma fórmula, sem acrescentar quase nada. Temos ali o velho arco dramático cheio de aventura e ação, acompanhados da velha e boa lição familiar além das amizades entre os personagens carismáticos.

era do gelo

Nesse quinto filme, o grande conflito familiar é em torno de Amora, agora uma mamute adolescente e que está prestes a dar o seguinte passo do namoro, o casamento. Assim, alguns temas bem relevantes como a superproteção dos pais e o começo de uma nova vida são levantados de uma maneira que para os pais pode até soar como bobinhas, mas para as crianças é bem didática. Fora os outros conflitos como Shira e Diego que querem ter o seu primeiro bebê e Sid, que está em busca da companheira dos seus sonhos para formar sua tão aguardada família. Claro que, além desses conflitos, nossos heróis têm ainda de encontrar uma maneira de salvar a terra de um enorme asteroide.

Assim como aconteceu nos longas anteriores, a ação inicial do filme é todinha feita em cima do carismático personagem Scrat e sua incansável busca da noz. Só que dessa vez, ele vai parar no espaço sideral e lá causa um grande abalo cósmico.

Se por um lado não temos grandes novidades na maneira que o longa é narrado ou até mesmo mais ousadia de apresentar novos personagens, fato que ocorre praticamente em todos os outros filmes da franquia, por outro lado pela primeira vez desde o primeiro filme um envolvimento do inicio ao fim.

Como o filme no Brasil terá somente cópias dubladas, vamos falar um pouco sobre ela. A Fox não é nenhuma Disney e às vezes peca muito em suas vozes, por soarem um tanto quanto repetitivas. Porém, em A Era do Gelo, os dubladores foram mantidos, com exceção da voz da mamute Ellie, que no segundo filme foi dublado pela atriz Claudia Jimenez, porém a mesma não retornou nos demais filmes. Nesse quinto filme, o elenco conta com duas novas vozes: a da atriz Ingrid Guimarães, dando vida a Brooke, interesse romântico de Sid e o youtuber Windersson, dando voz ao personagem Roger.

Muitos vão torcer o nariz pela escolha do Windersson, porém a voz se encaixou de uma maneira tão perfeita, que ele dá uma personalidade única pro personagem e acaba roubando a atenção toda vez que aparece em cena. Diferente de Ingrid Guimarães, que está super ok e que fica às vezes irreconhecível saber que é a atriz que está dublando a personagem.

Eu gostaria de deixar bem claro o ponto mais NEGATIVO do filme: o seu título nacional. Por mais que achem que A Era do Gelo: O Big Bang seja mais vendível, não tem como negar que eles estão dando uma aula errada para as crianças. Fora que Rota de Colisão também seria bastante atrativo.

Preparem-se para encontrar um filme que vai agradar em cheio as crianças, além de trazer certas referências que os pais vão entender. Por mais que A Era do Gelo venha apresentando sinais de desgaste desde o seu terceiro longa, parece que com esse quinto eles descobriram como dar uma sacudida legal no pessoal e trazer novas tramas e personagens para essa franquia.

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!