Survivor: Kaôh Rōng 32×14 — Not going down without a fight (Season Finale)

Not going down without a fight marca o final de mais uma temporada do reality.

Você sabe que é só amor.” CYNDEY, Emocionada.

Depois de treze semanas de jogo, Survivor: Kaôh Rōng chega ao final com quatro possíveis vencedores. Depois da triste despedida de Joe que não foi comentada aqui antes e eu peço desculpas por isso, o jogo se tornava cada vez mais imprevisível a respeito de que lado ficar. Valia tudo para conseguir um lugar entre os três finalistas e a vontade de vencer foi colocada à prova.

Basicamente o jogo estava dividido em dois grupos: Aubry e Tai contra Cydney e Michele. Sendo assim, era necessário atrair alguém da equipe adversária para o seu lado. Aubry venceu o desafio de recompensa e a dividiu com Cydney, já buscando atrair a atenção dela. Michele ficou de lado com Tai e viu nisso a perfeita oportunidade para colocar seu jogo em prática. Cada momento contava durante essa recompensa, mas a verdade é que a imunidade seguinte era o que determinaria o próximo eliminado. Ou não.

Como já é costume, a prova de imunidade entre os quatro participantes restantes é daquelas que deixa até o espectador sem fôlego. Eu, por exemplo, já tava que nem o Rob Mariano depois da prova que ele venceu em Survivor: Redemption Island. E o vencedor da prova foi quem menos era esperado pra vencer. Michele esteve atrás dos outros competidores durante todo o desafio, mas foi a primeira a entender como funcionava o quebra-cabeça que daria segurança para um deles. Sorte dela, que era o alvo mais fácil dentre os que estavam ali.

Sendo assim, haviam apenas duas opções de voto. Seriam três, mas era óbvio que Tai era uma pessoa que todos queriam levar para o conselho final por motivos de que ele não era bem visto pelo júri. Cydney e Aubry eram os alvos e cada uma levou dois votos, causando a surpresa de Cydney e Michele que achavam que tinham atraído Tai para o seu lado. Como ninguém mudou o seu voto, a decisão ficou na prova de fogo. Literalmente.

Fazer fogo é algo que normalmente, acredito eu, requer muita paciência. Imagina ter que fazer isso antes que outra pessoa faça e te elimine do programa. Que agonia, meus amigos! Cydney não estava com chance alguma pois Aubry conseguiu levantar fogo com facilidade. O único problema dela foi que o fogo praticamente se apagou, restando apenas a brasa para lutar pela vitória. Enquanto isso, Cydney continuava empacada. Aubry conseguiu reacender o fogo, que dessa vez ficou na direção correta, e conseguiu um lugar no top 3. Cydney se mostrou uma pessoa muito forte durante todo o programa, mas não poupou as lágrimas na hora de sua despedida do jogo.

Ok, agora é final three. Eba! Só que não oficialmente. Eles comemoravam, mas Tai foi sensato ao notar que as palavras de Jeff não confirmaram que o próximo conselho era o final. No dia seguinte, a confirmação: mais uma prova. Porém, antes de explicar o que aconteceria, Jeff oficializou que ninguém seria eliminado, ou seja, eles iam para o conselho final. A prova serviria como uma vantagem que poderia valer muito a pena. Quem vencesse o desafio teria o poder de eliminar um dos membros do júri e, dessa maneira, conseguir uma chance maior de vencer o jogo. Mamilos!

Not going down without a fight

O mais legal de tudo é que nem o povo que já estava no júri sabia disso e Michele, que ganhou a prova, teve a honra de anunciar para eles o que aconteceria. Mesmo não sendo uma eliminação comum, houveram conversas na tribo para ver quem seria o melhor para cada um. O argumento utilizado por Michele era de que ela tiraria alguém que poderia ser persuasivo o bastante para atrapalhar sua situação. Scot acreditava que seria o escolhido, mas Neal foi o eliminado. De novo. Só não digo que ele é o mais azarado da história porque a Francesca tá aí pra isso.

É uma honra finalmente ter meu nome escrito.” NEAL, Eliminado.

Neal se despediu, de novo, do jogo mas não poupou Michele em sua despedida. Ele provavelmente adaptou o discurso que faria na final e comentou que Michele se mostrava forte, mas que era fraca e que não tinha chance alguma. Essa doeu até em mim. Era fato que essa decisão foi a melhor para ela, pois Neal era um voto certo que Aubry tinha.

Depois de se olharem no espelho e de tirarem a barriga da miséria no café da manhã dos campeões, os três finalistas foram para o conselho tribal final. Ah, e não estavam sozinhos. Mark, a galinha de estimação de Tai, também esteve presente e assistiu tudo de camarote.

Eu vou para esse conselho da mesma maneira que fui para todos os outros. Minha cabeça está a prêmio. Como eu vou sair dessa?” AUBRY, Sincera.

Como de costume, o júri fez o seu trabalho inquisidor. Apresentou fatos, exibiu seus comentários e questionaram os atos dos três candidatos e também o porquê de suas nem todas podem ser chamadas assim traições. Tai, mais do que nunca, não tinha a menor chance de vencer o jogo. Suas mudanças de alianças não foram vistas de uma boa forma pelos eliminados por ele. Restavam Aubry e Michele.

Aubry, de longe, era a pessoa que tinha o melhor jogo dentre as duas. E ela explanou bem isso. Como a própria Aubry disse, ela foi responsável por todas as eliminações após a fusão e isso é um fato. Michele por sua vez apenas sobreviveu. Poderíamos pensar dessa maneira, mas o discurso e o questionamento de Julia, acredito eu, foram os pontos chaves para que o júri analisasse sua ex-aliada como provável campeã. Julia apontou Michele como alguém que teve sorte por não precisar ir para um conselho por mais da metade do jogo e também de ser apenas mais um número até o momento que teve que eliminar a loirinha. Isso não foi motivo suficiente para dar o prêmio para Michele, mas, com certeza, abriu as mentes de todos os que iriam votar.

Not going down without a fight

A votação confirmou que Tai não tinha nenhuma chance, já que ele não levou nenhum voto. Michele levou cinco votos contra dois a favor de Aubry e se sagrou campeã de Survivor: Kaôh Rōng. Não podemos dizer que ela não teve motivos pra vencer. Entretanto, Aubry começou a trilhar a sua história bem antes de sua rival. Numa temporada cheia de blindsides, o conselho final seguiu o mesmo caminho e enganou até a maioria do público, que contestou um pouco o desfecho dessa temporada, que poderia ser considerada como sensacional se a história tivesse outro fim.

Como já é tradição, o final da temporada apresentou a temática seguinte do programa. Survivor: Millenials vs. Gen X vai mostrar uma batalha entre gerações para ver qual delas se sobressai. A temporada foi gravada numa ilha de Fiji, país que serviu de locação para a décima quarta temporada do reality show, que leva o mesmo nome.

Not going down without a fight

Agora só nos resta esperar por Survivor: Millenials vs. Gen X. Até o próximo semestre!

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Será que a Elsa se assumiu lésbica cantando e ninguém percebeu?

Curiosidades de Euphoria, a série BAFOOOO da HBO.

Viajamos no verdadeiro trem do Harry Potter! Na vira real!!! Veja como foi a experiência neste vídeo.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER