The Flash 2×07 — Gorilla Warfare

Grood, um dos vilões mais temidos por Barry Allen, voltou à Central City, mas não empolgou em Gorilla Warfare.

Não posso parar o Zoom”. ALLEN, Barry

Após um episódio excelente, a narrativa de The Flash retornou exatamente de onde parou: mostrando o que aconteceu com Barry após a batalha entre ele e Zoom, no episódio Enter Zoom. As consequências foram graves e colocou o velocista escarlate em uma posição onde ele jamais imaginou que estaria um dia.

Em Gorilla Warfare, o vilão escolhido foi Grood, um dos mais icônicos dos quadrinhos e que ganhou um belo tratamento do departamento dos efeitos especiais, entretanto sua narrativa não empolgou. A sensação que tivemos ao assistir ao episódio foi que a história contada era sobre o King King, e não o gorila temido por Barry. As referências ao personagem foram muitas: o bichano escalando prédios e Caitlin, que ocupou o lugar da mocinha em perigo com Síndrome de Estocolmo.

Falando nela, Caitlin e Harrison Wells foram os personagens que tiveram mais destaque no episódio. A dupla se uniu para resolverem o problema em questão e mostraram sintonia quando necessário. Vale destacar que a ambiguidade de Wells está cada vez mais evidente e coloca uma questão perante o público: será que agora ele é mesmo um homem bom que deseja salvar sua filha? Ou, há algo a mais nessa história?

Essa virada de roteiro foi interessante para mostrar como Barry poderia ser mais analítico do que um corredor impulsivo em momentos onde é necessário manter a calma e agir estrategicamente. Esta também foi uma oportunidade para mostrar como Caitlin, Harrison Wells e Cisco agiriam em campo de batalha, já que o velocista escarlate estava impossibilitado de correr.

Ao contrário deles, outros personagens não foram bem aproveitados na narrativa. Iris, que está crescendo cada vez mais e se tornando muito importante, passou completamente despercebida neste episódio. Uma jornalista como ela não ficaria e nem deveria apenas ficar olhando Barry passar por essa situação e apenas fazer ligações e ficar olhando seu amigo se recuperar de um trauma psicológico. Cisco também não foi utilizado como deveria no roteiro. Embora suas habilidades de visualizar o futuro estejam cada vez mais evidentes, o herói tem outros poderes que precisam ser adicionados a história rapidamente, como por exemplo, as ondas de choque sônico que podem até para destruir concreto e aço.

O retorno de Henry Allen à Central City foi algo manjado demais. É sempre muito bom ver pai e filho se encontrando, mas, a solução encontrada para incentivar Barry a voltar à ativa foi um clichê desnecessário. O velocista escarlate precisa ser cada vez mais corajoso. Afinal de contas, sua vida depende disso. Zoom já mostrou do que é capaz. Portanto, é hora de deixar os traumas de lado e crescer como herói.

Barry Allen volta a telinha da The CW apenas em 1 de dezembro. Confere ai no trailer o que veremos no primeiro crossover da temporada com Arrow.

Também não deixe de ver as notas do Box de Séries para o episódio Gorilla Warfare e deixe nos comentários sua opinião.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER