The Oblongs: Toda família tem seus defeitos

Cancelamentos de bons seriados por causa de baixos índices de audiência, infelizmente, não são nenhuma novidade nesse mundo “capitalista selvagem” em que vivemos. Eu já perdi a conta de quantos seriados deixaram a mim e tantos outros fãs desolados por não terem suas histórias dignamente concluídas, por decisão de executivos de grandes emissoras que pouco se importam com o público. The Oblongs foi mais uma vítima desse mal.

Criada por Angus Oblong, a série é baseada no livro Creepy Susie and 13 Other Tragic Tales for Troubled Children de sua autoria, e teve sua premiere no canal WB em 1 de abril de 2001 (é verdade), mas teve baixos índices de audiência e acabou tendo seu finale na emissora já no segundo episódio.

Tendo ainda outros 5 episódios prontos, os produtores buscaram uma nova emissora para veicular o seriado. Encontraram no Adult Swim (programação noturna da Cartoon Network) uma casa e, pela primeira vez, tiveram êxito de audiência junto ao público. O relativo sucesso garantiu uma segunda temporada em 2002, mas a produção de novos episódios foi encerrada naquele mesmo ano, deixando um total de 13 episódios entre as duas temporadas.

O seriado conta a história da família Oblong, composta pelo protagonista Milo, filho do meio, que sofre de transtornos psicóticos; Bob (dublado por Will Ferrell, de SNL e 30 Rock), o pai da família destituido de seus membros superiores e inferiores; Pickles (dublada por Jean Smart, de 24 Horas e Samantha Who?), a mãe alcoólatra e careca, que vivia entre os ricos da Colina; Chip e Biff, os gêmeos siameses e a pequena Beth, a caçula da família que tem um tumor na cabeça.

Os Oblongs vivem no Vale, a região pobre da cidade, onde os habitantes desenvolvem diversos tipos de deformidade devido ao lixo produzido pelos habitantes da Colina, a comunidade rica. Dentre os poderosos da Colina está George Kilmer (dublado por Billy West, de Doug e Futurama), chefe de Bob e dono da fábrica que produz os detritos tóxicos que mais poluem o Vale.

O enredo se constrói através das críticas a esses contrastes sociais e a convivência normal, na medida do possível, d’Os Oblongs e os demais habitantes do Vale, a eterna busca do indivíduo de encontrar um grupo, seja Milo com seus transtornos tentando fazer parte das crianças “normais”, ou sua amiga Helga, tentando fazer parte das Debbies, uma alusão clara ao estereótipo das patricinhas loiras de mente fútil dos colégios.

Tudo em The Oblongs parece único, o estilo da animação é diferenciado, a abordagem dos temas sociais e convívio da família é diferente da fórmula comum que temos em tantas outras animações e o seriado não tem medo de ser sério sem perder a graça.

Aqui no Brasil, The Oblongs foi exibido nas madrugadas do SBT, mas não teve continuidade, nem retransmissões. Já lá nos Estados Unidos, os episódios continuam a ser reexibidos pela Adult Swim que, no começo desse ano, anunciou ter encomendado novos episódios e que estariam em negociações com os produtores.

Se estiver buscando por uma animação inteligente e diferente dos tantos enlatados que temos hoje em dia, The Oblongs é opção certa!

Já conhecia The Oblongs? Não? Só não esqueça de comentar

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

The Handmaid's Tale voltou!!! O que rola de novo nesta temporada? Descubra mas SEM SPOILER!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!