Uma jornada inusitada pelo submundo japonês em Eu, Wolverine

Eu, Wolverine é a primeira série solo do mais famoso X-Men e traz à tona a faceta samurai do herói.

Criada pelos mestres Chris Claremont e Frank Miller e publicada originalmente como uma das famosas minisséries da Marvel nos anos 80, Eu, Wolverine é o quarto volume da Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel da editora Salvat.

A História

O Logan sempre foi um dos personagens favoritos do escritor Chris Claremont, responsável pelas histórias da revista X-Men por mais de 20 anos na Marvel. E uma das maiores provas é a minissérie Eu, Wolverine, republicada neste volume.

A frase “Eu sou o melhor no que faço, mas o que eu faço não é nada agradável” viraria um dos maiores clichês da Casa de Ideias, mas ainda era novidade no início da década de 1980. Narrado quase totalmente em primeira pessoa, o conto mostra a ida de Wolverine ao Japão para conquistar o amor de Mariko Yashida, e o autor utiliza muito bem o espaço para se aprofundar na mentalidade do mutante canadense.

Tudo isso antes de histórias com fundo realista como Watchmen de Alan Moore ou O Cavaleiro das Trevas de Frank Miller. Muito criticado hoje em dia pelo excesso de texto — muitas vezes descrevendo o óbvio — Claremont nem sempre recebe o crédito devido, mas foi um dos autores mais felizes em mergulhar na psique dos seus personagens (principalmente os X-Men) e nos dar seres realmente tridimensionais em suas motivações.

A Arte

O traço de Frank Miller ainda não era tão estilizado quanto se tornaria em trabalhos autorais como Sin City, ainda mais com a arte-final do experiente Joe Rubinstein, mas toda a qualidade cinematográfica da sua diagramação já estava presente. Tanto é que, famoso pelos recordatórios sem fim, Chris Claremont pôde economizar nas palavras. Uma sequência de luta do Wolverine com os ninjas do Tentáculo segue por três páginas sem nenhuma frase — e garanto que você não sente falta de narração!

Eu Wolverine 3

A Edição

O padrão de qualidade da Salvat se mantém neste volume, mas há de se fazer uma ressalva. A editora manteve talvez o padrão dos originais (a coleção foi lançada primeiro na Inglaterra) e deixou de fora o desfecho real da história. Acontece que esse é um dos menores livros da coleção, com apenas as 4 edições originais da minissérie do Wolverine. Porém, Claremont começou bem nessa época a prolongar os seus plots por meses (para não dizer anos)! A história de Wolverine e Mariko segue ainda por mais duas edições da revista Uncanny X-Men que poderiam muito bem ter sido incluídas aqui. Ao menos colocassem um texto de referência, não só neste como em muitos outros volumes da Salvat, falando um pouco para os leitores sobre o que acontece depois nas sagas desses heróis tão queridos. Imagino que isso ia até motivar os consumidore$ a procurar por mais produtos…

Eu Wolverine 4

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!